Emprego Estágios mais curtos e apoios mais baixos: as alterações que o Governo quer aprovar

Estágios mais curtos e apoios mais baixos: as alterações que o Governo quer aprovar

As linhas gerais da revisão das políticas activas de emprego foram apresentadas este mês aos parceiros sociais. Deverão avançar a partir de Setembro. Saiba o que está em cima da mesa.
Estágios mais curtos e apoios mais baixos: as alterações que o Governo quer aprovar
Miguel Baltazar/Negócios

Quebra no financiamento e ineficácia das políticas em vigor. São estes as justificações do Governo para a revisão das políticas activas de emprego. As linhas gerais sobre as alterações que o Executivo pretende aprovar – que ainda vão ser discutidas em detalhe – foram apresentadas este mês aos parceiros sociais: estágios mais curtos e apoios mais baixos, sobretudo quando em causa estão incentivos à contratação a prazo. Saiba o que está em cima da mesa. 




A sua opinião11
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado gatogato 30.07.2016

As vantagens de ser um governo socialista é que se podem fazer cortes à vontade que ninguém reclama, nem comunicação social, nem sindicatos, nem partidos comunistas, etc... São medidas revolucionárias... Alguma vantagem haveria de ter este governo de incompetentes. Quando é para cortar, é mesmo para cortar!

comentários mais recentes
tiago_1979 01.08.2016

Finalmente um governo de direita a retirar apoios ridículos à contratação, para empresas pouco escrupulosas...

surpreso 31.07.2016

Mais fácil "martelar" as estatisticas

Anónimo 31.07.2016

Com o outro anormal havia estágios de anos. Gfilhadaputa.

Migalhinha 30.07.2016

Vejam a coisa pelo lado positivo. Exemplo Estágios do PEPAC. Doze meses, direito a subsidio de desemprego. Pode ser melhorado sem dúvida e aí compete ao Bloco e ao PCP tudo fazer para que muitos jovens que demonstrem valor depois da aprendizagem sejam integrado no serviço.

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub