Mercado de Trabalho Cinco dicas para fazer um currículo a que ninguém fica indiferente

Cinco dicas para fazer um currículo a que ninguém fica indiferente

O currículo é o seu cartão de visita. É através desta forma de apresentação que tem oportunidade de mostrar as suas competências e diferenciar-se entre as centenas de ofertas de trabalho que chegam às empresas.
Cinco dicas para fazer um currículo a que ninguém fica indiferente
Reuters
Patrícia Abreu 25 de fevereiro de 2014 às 00:01

Apenas com um bom currículo, que realmente chame a atenção e se distinga, ganhará oportunidade de ser chamado para uma entrevista de emprego.

 

Fazer um currículo claro e objectivo, focado nas qualidades requeridas pelo empregador, bem como evitar incoerências são dados fundamentais para que os documentos não sejam excluídos à partida.

 

Conhecer a empresa e estar bem informado sobre o cargo ao qual se está a candidatar é outro passo fundamental para o sucesso. Mas, é preciso não esquecer que o currículo é um canal de vendas. Por isso, saiba vender as suas competências.

 

 

Conteúdo tem de ser claro e objectivo

 

O currículo é o primeiro canal de apresentação junto do empregador. Por isso, é fundamental que seja claro e objectivo, adoptando a versão normalizada de modo a ser de fácil análise.

 

"Independentemente do 'layout' escolhido pelo candidato, os currículos devem acima de tudo ser objectivos, devendo ter idealmente entre uma a duas páginas", realça a consultora de recursos humanos RHMais.

 

Já Ana Bernardes, directora de recrutamento da Accenture Portugal, diz que "sendo o currículo e a carta de apresentação os primeiros contactos entre as empresas e o candidato, é fundamental que estejam bem estruturados e correctamente redigidos".

 

O que importa é o conteúdo. "Currículos coloridos ou com demasiada informação podem ser prejudiciais para o candidato", conclui a Accenture.

 

Saiba "vender-se". Use o marketing a seu favor

 

Apenas os bons currículos, que se destaquem entre todos os outros, terão uma oportunidade. Não deixe escapar esta oportunidade e descreva todas as suas competências da melhor forma possível. Só assim poderá chamar a atenção e, numa segunda fase, ser seleccionado para uma entrevista de emprego. Evitar as tradicionais gralhas e erros é fundamental para não ser eliminado à partida.

 

Também é recomendável juntar uma fotografia e evitar informação desnecessária. "O CV é um documento de marketing, é um canal de vendas", destaca a RHMais. No entanto, a consultora lembra que é fundamental saber como usá-lo a seu favor e não contra si. "Os candidatos devem ter atenção aos erros ortográficos e colocação de fotografias e endereços de email pouco profissionais", alerta a mesma consultora.

 

Destaque as suas qualidades para o cargo

 

Quando está a candidatar-se a uma vaga de emprego é fundamental direccionar o currículo ao projecto para o qual está a concorrer. Destaque as suas competências que respondem àquilo que está a ser pedido e evite dispersões.  "O importante é focar sempre o discurso na oportunidade para a qual está a concorrer e quais as mais-valias que pode ter para a função", adianta Ana Bernardes.

 

A directora de recrutamento da Accenture acrescenta ainda que devem evitar-se "informações desnecessárias e focar-se sempre nas qualificações mais adequadas à posição que está a candidatar-se". Logo, o currículo "deverá ser utilizado analisando as necessidades das empresas para as quais se pretende ser contratado e criar um CV que mostre que estão aptos para a função", recomenda a RHMais. Destaque as competências para o cargo.

 

Dê valor à experiência e às competências

 

Os trabalhadores que já tenham experiência, mais do que as habilitações literárias, devem destacar estas competências profissionais. "O importante é passar a mensagem de que tem experiência e 'know-how' para ocupar o cargo ao qual se candidata, assim como conhecimento em áreas relevantes para a função", destaca Ana Bernardes, directora de recrutamento da Accenture Portugal.

 

Os candidatos a um determinado posto de trabalho devem olhar para o seu percurso profissional e descrever responsabilidades e tarefas executadas ao longo da sua carreira, bem como discriminar o tempo na função. Identifique os aspectos que terão maior valor para o cargo a que está a concorrer. Para a RHMais, "o fundamental é demonstrar a correspondência clara entre as competências do candidato e a função a que se candidata".

 

Não se esqueça de enumerar outras actividades

 

A referência a outras actividades e qualidades também devem estar presentes no currículo. Para Ana Bernardes, existem características que diferenciam uns currículos dos outros. O conhecimento de várias línguas, informática, percurso profissional ou de estágio internacional, competências técnicas diferenciadoras ou ainda participação em programas de voluntariado, são alguns dos factores valorizados pela Accenture.

 

Outras capacidades, como ser capaz de interagir e trabalhar em grupo são outros factores valorizados, num mundo cada vez mais exigente. "Atribuímos importância à capacidade de aprendizagem e à capacidade de trabalho em equipa, resolução de problemas, flexibilidade e adaptação à mudança", acrescenta a directora de recrutamento da Accenture Portugal. 




Saber mais e Alertas
pub