Mercado de Trabalho Estágios: Duração mais curta e apoios mais baixos
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Estágios: Duração mais curta e apoios mais baixos

O Governo vai reduzir a duração dos estágios de 12 para nove meses, ao mesmo tempo que reduz a comparticipação assegurada pelo IEFP. Na prática, as empresas vão pagar mais, mensalmente, pelos estagiários.

Em que consiste

)

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Sr Roubado 30.06.2014

Ou seja, as empresas vão deixar de admitir estagiários. As precárias empresas não vão pagar mais só porque este desgoverno baixa a comparticipação. Ou baixa o valor pura e simplesmente do estágio ou deixa de os haver. O intuito desta corja política é que todos (excepto a própria classe política) passem a ganhar ainda menos do já precário nível salarial deste país. Em 2015 haverá porém ainda muito otário que votará nesta escumalha.

comentários mais recentes
Sr Roubado 30.06.2014

Ou seja, as empresas vão deixar de admitir estagiários. As precárias empresas não vão pagar mais só porque este desgoverno baixa a comparticipação. Ou baixa o valor pura e simplesmente do estágio ou deixa de os haver. O intuito desta corja política é que todos (excepto a própria classe política) passem a ganhar ainda menos do já precário nível salarial deste país. Em 2015 haverá porém ainda muito otário que votará nesta escumalha.

PauloPUTO 29.06.2014

Boa noite,

estou desempregado e confesso que enquanto tiver o subsidio de desemprego deixo-me estar.
Desde que fiquei desempregado comecei a viver, vou ao ginásio, ao fim de semana tenho tempo para passear com os meus dois filhos e com a minha esposa, etc ...
Enquanto isso estou a trabalhar para mim, pois dou umas lições particulares de Matemática e Programação, não passo recibos pois prefiro que fique assim com receio que me cortem o subsidio de desemprego.
Contas feitas entre o que ganho a mais e o que não gasto com carro, portagens, probabilidade de ter uma acidente, etc ... neste momento estou a ganhar quase o dobro relativamente ao que ganhava no emprego. Claro que em Agosto vou ganhar pouco porque não darei explicações, mas vem o mês de Setembro. A minha esposa ainda tem emprego.
Paulo.

Jonas 29.06.2014

Gostava de saber qual a ligação do JdN tem com o governo.
Estranho estas notícias estarem a ser dadas apenas aqui e todas ao mesmo tempo, sinal de informação previligiada.
Que havia ligações já tínhamos percebido..

Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub