Mercado de Trabalho Governo justifica corte com menos desemprego
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Governo justifica corte com menos desemprego

A redução das comparticipações aos estágios, uma das medidas com maior adesão por parte das empresas, é justificada pelo Governo com a melhoria da situação do mercado de trabalho e com a necessidade de estimular a empregabilidade.

A redução das comparticipações aos estágios, uma das medidas com maior adesão por parte das empresas, é justificada pelo Governo com a melhoria da situação do mercado de trabalho

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais

A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Albano 30.06.2014

Menos desemprego??? Só se for nas estatísticas, pois o emprego tem descido e o verão sempre faz surgir empregos de ocasião, mal pagos e de curta duração.

comentários mais recentes
Carlos 30.06.2014

Boa noite,

estou desempregado e confesso que enquanto tiver o subsidio de desemprego deixo-me estar.
Desde que fiquei desempregado comecei a viver, vou ao ginásio, ao fim de semana tenho tempo para passear com os meus dois filhos e com a minha esposa, etc ...
Enquanto isso estou a trabalhar para mim, pois dou umas lições particulares, não passo recibos pois prefiro que fique assim com receio que me cortem o subsidio de desemprego. Ou seja ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão.
Contas feitas entre o que ganho a mais e o que não gasto com carro, portagens, probabilidade de ter uma acidente, etc ... neste momento estou a ganhar quase o dobro relativamente ao que ganhava no emprego. Claro que em Agosto vou ganhar pouco porque não darei explicações, mas vem o mês de Setembro. A minha esposa ainda tem emprego, mas não ficaremos chateados se entretanto ficar desempregada. É uma questão de termos soluções.
Carlos.
Email: arlos1.fcpb@gmail.com

Albano 30.06.2014

Menos desemprego??? Só se for nas estatísticas, pois o emprego tem descido e o verão sempre faz surgir empregos de ocasião, mal pagos e de curta duração.

Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub