União Europeia David Cameron promete realizar referendo sobre permanência na União Europeia

David Cameron promete realizar referendo sobre permanência na União Europeia

No primeiro discurso após a vitória, o líder britânico garantiu que o referendo é mesmo para avançar, prometeu dar mais poderes à Escócia e criar novos postos de trabalho. "Acredito sinceramente que estamos à beira de algo especial no nosso país", afirmou.
A carregar o vídeo ...
André Cabrita-Mendes 08 de maio de 2015 às 13:52

À porta do número 10 em Downing Street, reeleito e com o seu poder reforçado com a maioria parlamentar, David Cameron declarou que vai mesmo haver referendo sobre a permanência do Reino Unido na União Europeia.

 

"Sim, vamos realizar o referendo sobre o nosso futuro na Europa", garantiu o novo primeiro-ministro britânico esta sexta-feira, 8 de Maio. O referendo foi uma das bandeiras eleitorais dos conservadores e segundo as datas já avançadas pelo partido, deverá ter lugar até ao final de 2017.

 

Em relação à Escócia, que votou massivamente nos nacionalistas do SNP, Cameron prometeu dar mais poderes ao governo escocês. "Na Escócia, os nossos planos são criar o governo descentralizado mais forte do mundo, com importantes poderes sobre os impostos."

 

Prometeu também criar três milhões de estágios, aumentar a ajuda no cuidado infantil, reduzir impostos, construir casas e criar milhões de novos postos de trabalho.

 

"Eu acredito sinceramente que estamos à beira de algo especial no nosso país", declarou o líder dos "tories". "Juntos podemos tornar a Grã-Bretanha ainda mais grandiosa", rematou.

 

As declarações de David Cameron foram feitas após ser conhecido que os conservadores alcançaram a maioria na Casa dos Comuns, o que lhe vai permitir governar nos próximos cinco anos sem coligação. Os dados finais mostram que os Conservadores alcançaram 331 lugares, acima dos 326 que davam maioria no parlamento. 

 

Antes do discurso, o novo primeiro-ministro esteve reunido com a rainha Isabel no Palácio de Buckingham, uma formalidade pós-eleições, antes de um candidato anunciar que pretende formar governo.




A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
AAAA 09.05.2015

ISTO SIM É DEMOCRACIA. MESMO SENDO O CAMERON CONTRA, PERMITE QUE SE FAÇA UM REFERENDO E QUE OS INGLESES DECIDAM. PORQUE NÃO FAZEM CÁ O MESMO? SERIA AINDA MAIS IMPORTANTE PARA OS PORTUGUESES CUJA ECONOMIA NÃO VALE NADA COM O EURO.

Anónimo 08.05.2015

Afinal ainda existe muita gente que acredita no Pai Natal. Como se ele não soubesse que o referndo não passa.

Sudeste 08.05.2015

Está na hora de sairem, ingleses.

A vossa presença jamais seria leal. E só estiveram dentro enquanto lucraram com a livre circulação monetária ...

Branco Henrique da Costa Maltez 08.05.2015

Churchil deve estar a festejar. E pensar que o Portas tem um poster do velho Winnie, até me enoja.

ver mais comentários
pub