Zona Euro Grécia recebe 5,7 mil milhões mas quarta revisão ao memorando está atrasada

Grécia recebe 5,7 mil milhões mas quarta revisão ao memorando está atrasada

O MEE aprovou o desembolso de 5,7 mil milhões de euros que poderão chegar a Atenas já na quarta-feira. Contudo, a conclusão da quarta revisão ao cumprimento do memorando helénico, prevista para Maio, poderá não chegar antes de Julho. Bruxelas identifica atrasos.
Grécia recebe 5,7 mil milhões mas quarta revisão ao memorando está atrasada
Bloomberg
David Santiago 27 de março de 2018 às 14:45

O cumprimento do programa de assistência financeira à Grécia terá superado muitas expectativas, mas há ainda um conjunto de acções prioritárias por implementar, o que pode atrasar a conclusão do memorando prevista para o próximo mês de Agosto e adiar o desembolso da última fatia do empréstimo internacional.

Esta terça-feira, 27 de Março, o Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE) aprovou a quarta tranche prevista no memorando helénico no valor de 6,7 mil milhões de euros depois de a instituição liderada pelo alemão Klaus Regling ter validado a terceira avaliação ao cumprimento do programa de resgate grego.

Mas, tal como anteriormente estipulado, para já são apenas desbloqueados 5,7 mil milhões de euros, que poderão chegar a Atenas já esta quarta-feira.

A libertação dos restantes mil milhões, que a instituição responsável pela gestão dos resgates refere poder desbloquear depois de 1 de Maio, fica condicionada à capacidade de Atenas aplicar medidas para reduzir o stock de pagamentos em atraso e melhorar o sistema electrónico de licitação de propriedades estatais. Bruxelas considera que as autoridades gregas têm ainda de agilizar o programa de privatizações.

No final da reunião de Janeiro do Eurogrupo – a primeira com Mário Centeno enquanto presidente da entidade -, os ministros das Finanças do euro pediam "urgência" na aplicação dessas medidas que, segundo a Bloomberg, incluiriam a venda de 10 mil activos imobiliários, ainda neste ano, e posterior leilão de mais 40 mil propriedades, entre 2019 e 2021.

O jornal grego Kathimerini cita fonte comunitária que refere que o Eurogrupo já não planeia concluir a quarta revisão ao cumprimento do memorando em Junho mas apenas na reunião de Julho.

Em causa está o já referido atraso na prossecução de reformas consideradas essenciais, designadamente no que diz respeito às privatizações exigidas, como é o caso da concessão da auto-estrada Egnatia. No sector energético público continuam também sem avançar as privatizações pedidas.

Ora, a concretizar-se a não validação da quarta avaliação periódica, poderá ficar em causa o objectivo de fechar o programa de assistência em Agosto.

O Kathimerini adianta que, em Bruxelas, estão já a ser avaliados dois potenciais cenários: no primeiro não seria desbloqueada a última tranche prevista no memorando, necessária para conferir a Atenas uma almofada financeira que permita ao país aceder autonomamente aos mercados; um segundo cenário, mais benigno, passaria pela transposição das reformas por executar para as exigências pós-programa.

 

Até ao momento e já contabilizando os 5,7 mil milhões agora desbloqueados, a Grécia recebeu um total de 45,9 mil milhões de euros no âmbito do terceiro programa de assistência financeira negociado no Verão de 2015 e que pode ascender aos 86 mil milhões de euros. Em conjunto com o financiamento concedido nos dois outros memorandos concedidos através do Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira (MEEF), a Grécia recebeu 187,77 mil milhões de euros nos três resgates de que beneficiou desde 2010.




pub