Zona Euro Centeno: “Hoje é um dia especial para a Grécia”

Centeno: “Hoje é um dia especial para a Grécia”

O presidente do Eurogrupo salientou as vitórias de Atenas, no dia em que a Grécia terminou oito anos de resgate financeiro.
Centeno: “Hoje é um dia especial para a Grécia”
EPA
Negócios 20 de agosto de 2018 às 10:39

"Hoje é um dia especial para a Grécia", salientou Mário Centeno numa mensagem de vídeo publicada no site do Eurogrupo.

 

O responsável realçou que o "programa de resgate [da Grécia] chegou ao fim depois de um caminho longo e sinuoso, a partir do qual todos aprendemos lições. Mas agora isso é história. Hoje, o crescimento económico está a recuperar, estão a ser criados novos postos de trabalho, há um excedente orçamental e comercial, a economia foi reformada e modernizada."


"Sei que estes benefícios ainda não são sentidos por toda a população, mas gradualmente vão sentir", com Atenas a enfrentar "agora uma nova realidade."

 

Mário Centeno realçou que a "Grécia recuperou o controlo por que lutou", tendo os gregos pago "caro pelas más políticas do passado". "A Grécia regressou hoje à normalidade. Bem-vinda de volta", concluiu o presidente do Eurogrupo.


A marcar o dia do fim do programa de resgate, Jean-Claude Juncker, presidente da comissão Europeia, frisou em comunicado que "os parceiros europeus demonstraram a sua solidariedade, enquanto o povo grego respondeu a todos os desafios com uma coragem e determinação características".

 

E garantiu: "Eu sempre lutei pela manutenção da Grécia no coração da Europa". Juncker assegurou ainda que será sempre um "aliado, um parceiro e um amigo" dos gregos.

 

Já Pierre Moscovici, comissário para os assuntos Económicos e Financeiros, sublinhou como o fim do programa é uma boa notícia tanto para os gregos, como para a própria Zona Euro, na medida em que marca "uma linha simbólica perante a crise existencial".

 

Mas aproveitou para lembrar que foram as "reformas extensivas" que a Grécia aplicou que permitiram a recuperação sustentável e que "isto tem de ser alimentado e mantido para permitir que o povo grego recolha os benefícios dos esforços e sacrifícios feitos."

 

A Grécia esteve praticamente oito anos sem ir aos mercados, com uma tentativa falhada em 2014. Em Julho do ano passado, o país voltou a emitir dívida, mas ainda sob a alçada dos credores. Um resgate de 260 mil milhões de euros depois, os gregos vão fazer uma "saída limpa". A partir desta segunda-feira, dia 20 de Agosto, a Grécia volta a estar por si só, ainda que com uma almofada financeira que cobre as necessidades de dois anos e com a monitorização trimestral apertada da Comissão Europeia.

A pergunta impõe-se: Qual é o prémio que os investidores vão impor a um país saído de um resgate de oito anos?

(Notícia actualizada às 11h06 com declarações de Jean-Claude Juncker e Pierre Moscovici)




Saber mais e Alertas
pub