Finanças Públicas Conheça quanto do seu salário ficará retido este ano para pagar IRS

Conheça quanto do seu salário ficará retido este ano para pagar IRS

O Governo já publicou as tabelas de retenção na fonte em sede de IRS, ou seja, quanto do  salário mensal (ou pensão) ficará retido pela entidade patronal (ou Estado) para fazer face às obrigações fiscais em sede de tributação directa sobre os rendimentos do trabalho.
Conheça quanto do seu salário ficará retido este ano para pagar IRS
Paulo Duarte/Negócios
Rui Peres Jorge 03 de janeiro de 2018 às 10:46

As várias alterações ao código de IRS que vigorarão este ano já têm tradução nas tabelas que estabelecem a retenção mensal de salário (ou pensão) que será feita mensalmente pelas entidades patronais e pelo Estado para efeitos de IRS.


Com a publicação das chamadas tabela de retenção na fonte em Diário da Republica passa a ser possível calcular salários líquidos que reflictam os impactos do aumento de escalões de IRS (de cinco para sete). A subida do mínimo de existência (um valor abaixo do qual não se paga imposto e que terá reflexo em 2019 na liquidação do imposto) e a extinção total da sobretaxa (que tinha uma tabela autónoma que agora deixa de existir) não estão aqui reflectidos.

As novas tabelas entram em vigor quarta-feira, dia 3 de Janeiro, e comparam com as publicadas em 13 de Janeiro de 2017 para o ano passado. 

As taxas de retenção na fonte são formas de o Estado antecipar os impostos que tem a receber num ano, dividindo-o por prestações mais suaves, pelo que a factura final só é apurada no ano seguinte.

A taxa de retenção na fonte a aplicar depende da situação familiar do trabalhador ou pensionista, do seu nível de rendimento e de saber se é o único titular de rendimentos na família..

O valor mensal da retenção resulta da multiplicação directa da taxa pelo salário ou pensão bruta. Ilustrando com um exemplo: um casado, que não tenha filhos, onde os dois membros do agregado trabalham, e que tenha um rendimento bruto de 2.000 euros por mês, terá de ir à "Tabela III - trabalho dependente, Casado dois titulares", e procurar o nível de rendimento respectivo. A taxa de retenção mensal é de 22,9%, que se multiplica directamente sobre os 2.000 euros. No ano passado este valor era de 23,5% (pode consultar aqui as tabelas de 2016).

Além do IRS, o cálculo do salário líquido tem também de levar em conta os descontos para a Segurança Social.  

As tabelas de retenção na fonte deste ano:




As tabelas de retenção na fonte do ano passado:




A sua opinião16
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 2 semanas

Se numa qualquer economia deixarem despedir colaboradores excedentários ou, por outras palavras, deixarem desalocar factor trabalho mal alocado por não ter procura real justificável face às reais condições de mercado ditadas pela racionalidade económica que interpreta e se adapta ás forças de oferta e procura de mercado e que conduz à criação de valor, e desde que o Estado de Bem-Estar Social garanta um mínimo de condições básicas de sobrevivência em dignidade, como já o faz até certo ponto em Portugal apesar de vários constrangimentos financeiros que se prendem precisamente com a sobrealocação de factor trabalho desnecessário que é em si mesmo um parasitário concorrente de peso perante o Estado de Bem-Estar Social fragilizado, os restantes mercados de factores produtivos e bens e serviços encarregar-se-ão de tornar toda a economia mais rica e mais desenvolvida com inegáveis ganhos e benefícios para toda a sociedade residente naquela economia. Este é o tão propalado "Modelo Nórdico".

comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

zeca69, vais para a fileira do bacalhau se existir procura na Noruega. Não há. Cada vez será menos. Mas sempre podes apresentar uma oferta de um sistema automático de processamento de peixe que seja competitivo perante a concorrência de mercado. Aí encontrarás enorme procura. https://www.sintef.no/en/latest-news/still-good-hope-for-the-norwegian-fish-processing-industry/

zeca69 Há 2 semanas

Então vamos todos pescar bacalhau prá Noruega!

Anónimo Há 2 semanas

Jornal de Negócios, atentem num exemplo muito objectivo que nos chega da Escandinávia, onde existe ensino gratuito universal de inegável qualidade e os direitos sindicais adquiridos não se sobrepõem aos dos contribuintes e cidadãos em geral. É 1º Mundo onde não reinam a iniquidade e a insustentabilidade. Despedem excedentários, extinguem postos de trabalho que já não se justificam. A economia é robusta e enriquece, a sociedade é justa e feliz.
"The number of University staff will reduce by approximately 980 by the end of 2017." https://www.helsinki.fi/en/news/the-university-of-helsinki-terminates-570-employees-overall-staff-cuts-total-980
"Aalto University announced on Friday that it will shed a total of 316 positions by the end of 2018." www.helsinkitimes.fi/finland/finland-news/domestic/13754-aalto-university-to-lay-off-188.html
"University of Copenhagen fires 209 staff, 255 leave voluntarily" https://uniavisen.dk/en/university-of-copenhagen-fires-209-staff-255-leave-voluntarily/

Anónimo Há 2 semanas

Dinamarca e o chamado Modelo Nórdico que permite maximizar a criação de valor e minimizar a extracção daquele. Um Estado de Bem-Estar Social que existe acima de tudo para criar um mercado laboral verdadeiramente flexível e um mercado de capitais forte e dinâmico: "Denmark has the highest share of top performing companies in the EU in 2017. According to our Investment Report 2017/2018 for Demark, the country’s companies are outstanding also in another respect - nine out of ten have invested over the last financial year, making them the most investment-active businesses in the EU. Find out more:" eibis.eib.org/eibis-2017#!/denmark

ver mais comentários
pub