Finanças Públicas Passos acusa Governo de querer "deitar a mão" às reservas do BdP para "ajudar" défice

Passos acusa Governo de querer "deitar a mão" às reservas do BdP para "ajudar" défice

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou hoje do Governo de querer "deitar a mão" às reservas de dinheiro do Banco de Portugal (BdP) como "medida extraordinária" para "ajudar a compor os números do défice".
Passos acusa Governo de querer "deitar a mão" às reservas do BdP para "ajudar" défice
Lusa 28 de abril de 2017 às 19:03
"Há uma intenção clara do Governo de poder ir deitar a mão às reservas, ao dinheiro que está no BdP para, como medida extraordinária, ajudar a compor os números do défice", disse Pedro Passos Coelho aos jornalistas, em Beja, durante uma visita à feira agropecuária Ovibeja.

Pedro Passos Coelho reagia ao relatório do grupo de trabalho formado pelo PS e pelo Bloco de Esquerda sobre a sustentabilidade da dívida portuguesa, que apresenta uma proposta de reestruturação em 31% para 91,7% do Produto Interno Bruto (PIB) e pede ao Governo "cenários concretos" de reestruturação para serem utilizados em discussões europeias.

Segundo o líder do PSD, "os subscritores do documento abdicam de fazer qualquer reestruturação da dívida, e isso é bom, mas depois fazem algumas sugestões para políticas de curto prazo", as quais, "com excepção de uma, são ou erradas ou perigosas".

"A excepção é pagar mais depressa ao Fundo Monetário Internacional" (FMI), apontou, referindo ter "pena" que "o actual Governo tenha decidido abrandar o ritmo de pagamento de empréstimos ao FMI", porque isso permitiria a Portugal "poupar mais dinheiro em juros".

O "perigoso ou errado" é "encurtar os prazos de emissão de dívida, como é proposto", o que, "normalmente", é "o que fazem os credores com pior qualidade e foi o que aconteceu a Portugal até 2011", disse.

"Aquilo que é perigoso é ir simplesmente deitar a mão às reservas do Banco de Portugal, que já se percebeu que é isso que o PS e o BE querem e este é ponto essencial", insistiu Pedro Passos Coelho, referindo que "talvez hoje se perceba um pouco melhor esta guerra que tem sido movida contra o governador do BdP e contra do BdP".

Pedro Passos Coelho recordou ainda que, durante muitos anos, "o BE e muitas vozes do PS" insistiram que era "indispensável fazer a reestruturação da dívida portuguesa", mas, com este relatório, "meteram a viola no saco e essa conversa parece ter acabado".

O relatório vem dizer que o país pode "fazer uma diferente gestão em termos de curto e médio prazo da dívida pública portuguesa" e "abdica de fazer uma reestruturação da dívida no seu todo", disse.

"Do nosso [PSD] ponto de vista é muito positivo", porque "sempre nos pareceu bastante contraproducente andar todos estes anos a insistir na ideia que era preciso reestruturar a dívida", argumentou.

O presidente dos social-democratas referiu também que o grupo de trabalho sugere "uma extensão dos prazos dos pagamentos dos empréstimos e deixa em aberto a possibilidade de os países europeus perdoarem uma parte dos juros dessa dívida", uma proposta que "não tem grande viabilidade".



A sua opinião14
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
JA O CUELHO DOS BURACOS ESCONDIDOS.... 29.04.2017

....O chefe Cuelho esse SEMPRE PREFERIU...."CAVAR"....nos bolsos dos portugueses....enquanto os amigalhacos la do laranjal...esses "DEPENAVAM"....bancos portugueses.
Essas eram as VERDADEIRAS ESCOLHAS......do CHEFE.

Se alguém duvidada do perfil Salazarento 29.04.2017

que este individuo inspira, esta afirmação bastava para o definir. Tal como Salazar que tinha toneladas de ouro em cofres e o País definhava na miséria. É esta a politica que (ppc) queria seguir, criticando quem a ousa desmistifica-lo. Ninguém tem, direito a sabotar o progresso e o bem estar do povo

Haja alguém que explique a este iletrado 29.04.2017

financeiro que "reservas" existem para isso mesmo. Se as mesmas servirem para reativar o País, dinamizando o investimento, baixando juros da divida, criando postos de trabalho e ativando a riqueza gerada por. É para isto que deve servir e não para estar nas profundezas do BdP. à tipo Patinhas

Passos já não enganas miguem,nem o diabo. 29.04.2017

Passos devia era dar informações ao povo do ouro que foi vendido para América e nem dinheiro nem ouro desaparecer tudo no reinado do seu padrinho,isso a que foi um assalto mas cala-se como um rato.Passos te digo que com meu voto não vai mamar mais,tens que ires trabalhar ex.votante do PSD

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub