Finanças Públicas Passos Coelho garante que meta do défice de 2012 será alcançada

Passos Coelho garante que meta do défice de 2012 será alcançada

O primeiro-ministro garantiu esta tarde, em Coimbra, que a meta do défice orçamental para 2012 (5% do PIB) será alcançada. As declarações de Passos Coelho surgem após ser conhecido que o défice nos primeiros três trimestres deste ano ficou nos 5,6% do PIB.
Passos Coelho garante que meta do défice de 2012 será alcançada
Ana Luísa Marques 28 de dezembro de 2012 às 18:40

Num comentário às contas nacionais divulgadas hoje pelo Instituto Nacional de Estatística, Pedro Passos Coelho destacou a queda das necessidades de financiamento externo da economia portuguesa e o aumento da poupança.

 

Os números divulgados pelo INE revelam que a taxa de poupança das famílias portuguesas aumentou de 10,1%, no segundo trimestre do ano, para 11,2%, no terceiro trimestre. Esta subida é explicada, sobretudo, pela redução do consumo. "O aumento da poupança reflectiu a redução de 1,0% da despesa de consumo final das famílias, enquanto o rendimento disponível aumentou ligeiramente (0,2%)", explica o INE.

 

Questionado sobre a queda das receitas fiscais nos primeiros nove meses do ano, o primeiro-ministro afirmou que este dado “valoriza ainda mais o facto de termos conseguido baixar o défice”. “Conseguimos um corte de despesa pública que compensa a queda das receitas fiscais”, disse o Pedro Passos Coelho aos jornalistas após uma visita ao Museu Machado de Castro em Coimbra.

 

Os dados do INE revelam que “nos três primeiros trimestres de 2012, a necessidade de financiamento das Administrações Públicas situou-se em 5,6% do PIB, contra 6,7% no mesmo período do ano anterior”. O primeiro semestre do ano o défice estava nos 6,8% do PIB.

 

“Tomando como referência valores acumulados dos três primeiros trimestres de 2012, o saldo situou-se em -6.929 milhões de euros, correspondendo a -5,6% do PIB (-8.528 milhões de euros no período homólogo de 2011, -6,7% do PIB)”, refere o INE.

 

(Notícia em actualização)

 
 

A sua opinião82
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Exterminador_de_Corruptos 29.12.2012

Labrego Incompetente!!! Com a austeridade que está a matar Portugal o Governo tinha obrigação de ter um Superavit. Só não o tem porque anda esbanjar milhões com os Jobs for the Boys. Se este imbecil pensa que por cumprir o défice vai ter a compreensão dos Portugueses bem se pode desenganar. Com mais de 20% da população a viver abaixo do limiar da pobreza, mais de 2/3 em riscos de pobreza e mais de 1 milhão de desempregados, cumprir a meta do défice é um crime contra os direitos humanos. Este imbecil devia ser julgado no Tribunal Internacional de Haia por crimes contra a humanidade. O actual Governo de Passos Coelho é de longe o Governo mais incompetente de toda a História de Portugal. O Governo tem 2 hipóteses: 1) Demite-se por sua iniciativa, 2) É corrido do poder à chicotada pelos Portugueses nas ruas. Nesta eventualidade todos os membros do Governo terão que emigrar de Portugal já que os cidadãos roubados e indignados vão-lhes pedir contas diariamente nas ruas.

comentários mais recentes
Anónimo 01.01.2013

É verdade que o actual PM recebeu uma herança muito pesada, com o país em situação muito grave. Mas o que está a fazer aos pensionistas privados (segurança Social) além de ser um escândalo, é INCONSTITUCIONAL ! Se o PM acha que há reformas, para as quais o pensionista não contribui o suficiente, isso só aconteceu no Estado ou Empresas Estatais. Na Segurança Social, o cálculo era e é feito, segundo regras bem definidas e sem excepções. Mais... na Segurança Social há um limite máximo para o valor das pensões, o que não acontece no Estado.

vidasil 31.12.2012

Se, hoje, o chefe assim o diz... é mentira, amanhã!

Anónimo 31.12.2012

É verdade que o actual PM recebeu uma herança muito pesada, com o país em situação muito grave. Mas o que está a fazer aos pensionistas privados (segurança Social) além de ser um escândalo, é INCONSTITUCIONAL ! Se o PM acha que há reformas, para as quais o pensionista não contribui o suficiente, isso só aconteceu no Estado ou Empresas Estatais. Na Segurança Social, o cálculo era e é feito, segundo regras bem definidas e sem excepções. Mais... na Segurança Social há um limite máximo para o valor das pensões, o que não acontece no Estado.

Anónimo 31.12.2012

Alguém ACREDITA NISTO? Só à Grega, ou seja com "batota" a que chamam ponposamente REENGENHARIA FInanceira.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub