Finanças Públicas UE admite excluir gastos com catástrofe de cálculo do défice

UE admite excluir gastos com catástrofe de cálculo do défice

A Comissão Europeia admitiu hoje a exclusão no cálculo do défice de Portugal das verbas gastas com apoios de emergência, na sequência dos incêndios do fim-de-semana, que provocaram, pelo menos, 62 mortos.
UE admite excluir gastos com catástrofe de cálculo do défice
Vítor Mota/Correio da Manhã
Lusa 19 de junho de 2017 às 15:54

"De acordo com as regras da União Europeia (UE), as verbas gastas em resposta a grandes catástrofes naturais podem ser classificadas como 'one off'", ou seja, uma medida de excepção irrepetível que não é considerada para calcular o défice, disse a porta-voz para os Assuntos Económicos e Financeiros, Annika Breidthardt.

 

A porta-voz adiantou que não há, para já, nenhum pedido específico do Governo português nesse sentido.

 

Ao considerar "irrepetível" a despesa do Estado com ajuda de emergência, permite que esta "possa ser excluída do cálculo do esforço do Estado-membro para o ajustamento estrutural, quando for considerada de acordo e em cumprimento com o pacto de estabilidade e crescimento", esclareceu.

 

O fogo, que deflagrou às 13:43 de sábado, em Escalos Fundeiros, concelho de Pedrógão Grande, alastrou depois aos concelhos vizinhos de Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera, no distrito de Leiria, e entrou também no distrito de Castelo Branco, pelo concelho da Sertã.

 

O último balanço dá conta de 62 mortos civis e 135 feridos, entre os quais 121 civis, 13 bombeiros e um militar da GNR. Dos 135 feridos, sete estão em estado grave: cinco bombeiros voluntários e dois civis. Há ainda dezenas de deslocados, estando por calcular o número de casas e viaturas destruídas.              

 

O Governo decretou três dias de luto nacional, até terça-feira.

 


A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
FVV Há 5 dias

CONSELHEIRO de TRUMP,
É pá! Deixa lá de ser ordinário e provocador. Faz aí uma pausa. Respeita os infelizes. Não os uses para provocar o governo. Verga-te perante a memória aos mortos.
Não passas de um infestante.
Para ti o meu infinito desprezo!!! Ainda assim, gostava de te conhecer.

Conselheiro de Trump Há 5 dias

Oh diabo parece q ja estou a ver a canhotada radical mandar desviar a guita para os coitadinhos(funcao publica)afinal os mortos ja nao comem.Se o dinheiro gasto nao conta para divida,para q vai ele contar entao?Se dissessem a EU tem 1 pe de meia para esse fim,estava de acordo.Cigarro do proprio maco

pub
pub
pub
pub