Função Pública CIP nem quer ouvir falar na redução de horário no privado
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

CIP nem quer ouvir falar na redução de horário no privado

A CGTP conclui que há 364 mil trabalhadores no privado que têm um horário normal de trabalho inferior a 40 horas, ou seja, 16% do total. O PS aprovou diploma d’Os Verdes que reduz o horário máximo, mas diz que a norma vai cair na especialidade.
CIP nem quer ouvir falar na redução de horário no privado
Miguel Baltazar/Negócios
Catarina Almeida Pereira 18 de Janeiro de 2016 às 00:01

No pacote sobre a redução de horário da administração pública, o PS aprovou na generalidade uma proposta d’Os Verdes que também prevê a redução do horário no sector privado.

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
FDP 18.01.2016

Este "empresário da CIP" era sindicalista e diretor comercial da metalurgica Luso italiana (torneiras ZENIT) depois subiu á custa da BIMBALHADA que na AEPortuense é o que predomina ! quando a met Luso italiana se juntou á Met Luso alemã.

Pois 18.01.2016

O ideal é mesmo a escravatura, que tal meter esta gentinha com 500 euros mês durante uns tempos?

Anónimo 18.01.2016

Quem defende esta medida de redução das horas de trabalho e afins fá-lo baseado em ideologias, em realidades virtuais, num mundo á sua medida.
Sucede que vivemos numa sociedade global e competitiva, em que ou somos realistas ou somos triturados.
Quem defende estas medidas, beneficia de uma série de regalias sociais que os Estados só conseguem manter se conseguirem produzir riqueza suficiente para o efeito. E não me parece que se lembrem disso.

Anónimo 17.01.2016

Trabalho tem que doer e as pessoas tèm de empobrecer. Assim reza a biblia da teccnoforma. Tem de ser, e a realidade, não há alternativa. Carrega grande Passos! Verga.os ate morrerem!

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
pub
pub
pub