Função Pública Curso que dá emprego no Estado sem data para avançar
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Curso que dá emprego no Estado sem data para avançar

O curso que por cinco mil euros garante emprego no Estado não arrancou neste ano lectivo e o Governo não garante que avance no próximo. Ainda se fará uma avaliação e uma revisão das regras. Impasse coincide com o arranque da regularização de precários.
Curso que dá emprego no Estado sem data para avançar
Bruno Simão/Negócios

As edições do curso que promete um emprego estável no Estado, e que implica o pagamento de cerca de cinco mil euros em propinas, foram interrompidas este ano lectivo. Em 2016 não foi lançado o concurso que selecciona

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais

A sua opinião10
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 5 dias

Também vão ter uns bónus retirados da dotação orçamental todos os anos à semelhança do pessoal da Agência Tributária? Os bancarroteiros caça-votos não perdem uma oportunidade para fazer o seu socialismo bolivariano.

comentários mais recentes
Anónimo Há 5 dias

O único curso em que quem entrava para a AP tinha que realizar uma prova, só era admitido quem tivesse 12 valores nessa prova de conhecimentos.Mal ou bem não se compara aos concursos públicos onde já estão escolhidos os candidatos à partida.Além disso tinham uma formação de um ano, daí os 5.000

Maria Santos Há 5 dias

Não imaginava que tal houvesse! Será legado de Salazar e Marcelo?

Anónimo Há 5 dias

Portugal precisa de governos capazes de fazer o que Macron promete fazer ("Ingressaremos gradualmente numa época em que ter um emprego vitalício baseado em tarefas que não são justificadas será cada vez menos sustentável - na verdade já estamos lá." - Emmanuel Macron) e Schäuble afirma que Schröder já fez na Alemanha ("Alemanha e a França estavam praticamente ao mesmo nível em termos de performance económica em 2003, antes de o antigo chanceler Gerhard Schröder ter implementado uma reforma na área laboral." - Wolfgang Schäuble). Cursos que "dão emprego no Estado" são tão século XX.

surpreso Há 5 dias

Queria dizer "inscrição no Largo do Rato".a do Largo do Carmo foi há43 anos

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub