Fundos comunitários Nelson de Souza: Maiores exigências podem afastar empresas dos fundos europeus
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Nelson de Souza: Maiores exigências podem afastar empresas dos fundos europeus

O Portugal 2020 corre o risco de ter regras demasiado exigentes para a estrutura empresarial portuguesa e para o momento que a economia atravessa, diz Nelson de Souza, antigo gestor do Compete/QREN, que adverte que "desenhos muito vanguardistas normalmente conduzem à ineficácia".
Nelson de Souza: Maiores exigências podem afastar empresas dos fundos europeus
Elisabete Miranda 30 de março de 2015 às 00:01

Com uma nova vaga de fundos comunitários à porta, Nelson de Souza, antigo gestor do Compete, o sistema de incentivos às empresas no âmbito do QREN, conversou com o Negócios sobre as novas regras. Considera que, se

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais

A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado cmmr Há 4 semanas

Corre o risco, não, são completamente utópicas aquelas exigencias. Aquilo foi feito por meia duzia de iluminados que nunca fizeram uma empresa..aquilo é para devolver 90% dos fundos a bruxelas. Tenho cerca de 12 empresas que queiram que lhes colocasse a candidatura, para criar emprego etc etc, depois de lhe explicar as exigencias tenho duas, sendo que uma delas disse: vou esperar dois anos...daqui a dois anos como não vão haver candidaturas eles «baixam completamente as calças ou devolvem 75% do dinheiro a bruxelas. Na mouche!!!

comentários mais recentes
prof.profissional Há 3 semanas

A gente percebe...com uma exigência levezinha ao estilo vistos gold, dá para dar sumiço aos milhões comunitários para off-shores e afins, tal como aconteceu no tempo do cavaco/barroso/socrates...

Anónimo Há 3 semanas

e nem entram na parte institucional, na qualidade das organizações e da gestão. Senão era de fugir...

cmmr Há 4 semanas

Corre o risco, não, são completamente utópicas aquelas exigencias. Aquilo foi feito por meia duzia de iluminados que nunca fizeram uma empresa..aquilo é para devolver 90% dos fundos a bruxelas. Tenho cerca de 12 empresas que queiram que lhes colocasse a candidatura, para criar emprego etc etc, depois de lhe explicar as exigencias tenho duas, sendo que uma delas disse: vou esperar dois anos...daqui a dois anos como não vão haver candidaturas eles «baixam completamente as calças ou devolvem 75% do dinheiro a bruxelas. Na mouche!!!

Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
pub
pub
pub