IMI Câmaras com dados de água e gás para triplicar IMI de devolutos
IMI

Câmaras com dados de água e gás para triplicar IMI de devolutos

As autarquias recebem este mês informação sobre contratos de água, luz ou gás para saberem que prédios estão devolutos e avançarem com a aplicação de IMI a triplicar. Lei previa que tivessem acesso também a consumos mas falta regulamentação.
Câmaras com dados de água e gás para triplicar IMI de devolutos
Bruno Simão
Filomena Lança 28 de setembro de 2016 às 22:00

Até ao dia 1 de Outubro, as câmaras municipais deverão ter já recebido ficheiros electrónicos enviados pelas empresas de serviços telecomunicações, água, luz e gás com a listagem anual actualizada "da ausência de contratos de fornecimento ou de consumos baixos, por cada prédio urbano ou fracção autónoma".

Esta obrigação entrou em vigor este ano, na sequência de uma norma introduzida pelo Orçamento do Estado (OE) para 2016, e pretende agilizar os procedimentos para que as câmaras municipais detectem os prédios que estejam devolutos. Uma vez identificados e enviada essa informação para o Fisco, os proprietários terão de pagar IMI a triplicar.

A lei previa já que as empresas de serviços fornecessem a informação necessária à identificação da existência de contratos de fornecimentos, ou de consumo, mas só o faziam mediante a apresentação de um pedido escrito dos municípios. A partir deste ano, o processo passou a ser automático, sem necessidade de qualquer pedido e as empresas têm vindo a preparar o envio da informação em causa.

Além disso, sublinha fonte oficial do Ministério das Finanças, agora a lei "refere a inexistência de contratos de fornecimento ou de consumos baixos" como requisitos para o prédio ser considerado devoluto. Por outras palavras, já não basta o proprietário ter um contrato, terá de haver um fornecimento e, para que o prédio não arrisque a ser apontado como devoluto, é preciso que tenha consumos. Se estes foram baixos, então isso poderá ser um indício de que, de facto, o imóvel está vazio.

Consumos baixos ainda não vão ser penalizados

No entanto, o que deverá ser considerado um "consumo baixo"? O Negócios contactou várias empresas de serviços, que afirmam estar a fazer o levantamento necessário para dar às câmaras a informação sobre os contratos de fornecimento durante este mês, mas levantam precisamente essa dúvida.

A EDP Distribuição "está a concluir a o levantamento das situações previstas na lei, estando pendente a identificação das instalações com ‘consumos baixos’, na medida em o conceito não está definido objectivamente na legislação", refere fonte oficial da empresa.
Também a GALP encontrou idêntica dificuldade. Se, por um lado, diz que "irá cumprir em tempo a obrigação de comunicação aos municípios dos imóveis com contratos de fornecimento activos de gás natural ou electricidade", por outro deixa para quando for "definido o conceito de ‘consumo baixo’" para fornecer "a informação complementar prevista na lei.".

Questionado, o Ministério das Finanças não esclareceu como deverá ser interpretada e aplicada a nova norma no que respeita ao conceito de "consumos baixos".

A informação sobre a existência ou não de fornecimento de serviços é preciosa para que as Câmaras possam fazer a listagem dos prédios devolutos ou em ruínas que têm nas suas zonas geográficas. Essa listagem, que não é obrigatória, deve ser enviada para o Fisco até 30 de Novembro de cada ano, juntamente com a informação sobre a taxa de IMI que deliberaram aplicar nesse mesmo ano. No entanto, para que os prédios sejam considerados devolutos é preciso um processo que inclui audições aos proprietários, para que estes, se for o caso, se possam justificar e provar que o imóvel está efectivamente a ter utilização e que, por isso, não deverá ser penalizado com IMI a triplicar.

tome nota O que é um prédio devoluto e as excepções A lei excepciona os casos em que, estando sem utilização, uma casa não é considerada devoluta e, por isso, não pode ser penalizada. As que estiverem sem ninguém há mais de um ano arriscam IMI a triplicar.

Aos olhos da lei, o que é um prédio desocupado? A regra geral é a de que um prédio está devoluto se estiver um ano desocupado. Os indícios são a inexistência de contratos de água, luz, gás ou telecomunicações. Mas há várias excepções a esta regra.

Casas de férias
Não se consideram devolutos os prédios para habitação por curtos períodos, como casas de férias. O mesmo se passa com casas de emigrantes ou de portugueses no estrangeiro no exercício de funções públicas, como diplomatas.

Prédios em obras
Também não estão devolutos os prédios em obras de reabilitação ou cuja construção ou obras tenham terminado há menos de um ano.

Casas à venda 
A lei excepciona ainda os imóveis que estão para venda, propriedade de promotores imobiliários, durante um período de três anos.



A sua opinião47
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado semcrer Há 3 semanas

Que grande abuso!

comentários mais recentes
Anónimo Há 1 dia

estas medidas do orçamento de estado e uma vigarice estes gajos pensam que enganam quem? a dizer que vao reduzir os impostos e devolver salarios pensoes etc.. mas vao retirar noutro lado em impostos ou seja em nada vai adiantar lol roubo a descarada esquerda ladrona

Anónimo Há 1 dia

os comunas tem a arte de roubar o que nao e deles tal e qual como no 25 de abril lol que se ocuparam das casas vazias das pessoas que muitas delas perderam muito patrimonio e agora esse mesmo partido tem as casas todas e sao 20 milhoes de euros e nada pagam vergonha escumalha comuna

Anónimo Há 1 dia

abaixo com este desgoverno ladroes e ainda criticavam pedro passos coelho pela austeridade estes vao fazer 1000 vezes pior mas que raio de imi e este? agora sou obrigado a ter a minha casa ocupada mesmo nao estando degradada pk nao esta a consumir muita luz hahaha e de rir ladroes

Anónimo Há 1 dia

isto so tem uma palavra roubo e mais isto e para o estado se habilitar as casas das pessoas isto e mais do que um roubo as pessoas se nao tem dinheiro e investiram nesse casa ou predio ou seja o que for vai dar? que roubo pagar 5 IMI num ano ladroes

ver mais comentários
pub