IRC Banca poderá abater ao IRC mais de 9 mil milhões em impostos diferidos
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
IRC

Banca poderá abater ao IRC mais de 9 mil milhões em impostos diferidos

O Governo quer que, de futuro, a generalidade das perdas por imparidade da banca sejam aceites no IRC por 75% do seu valor. Para limpar o passado, aceita reconhecer fiscalmente a totalidade dos activos por impostos diferidos de uma assentada, mas impõe a sua dedutibilidade de forma faseada durante 15 anos.
Banca poderá abater ao IRC mais de 9 mil milhões em impostos diferidos
Miguel Baltazar/Negócios

A banca deverá receber luz verde para abater como custo fiscal a totalidade dos activos por impostos diferidos que tinha registado nos seus balanços a 31 de Dezembro de 2016. Ao todo, estão em causa mais de 9 mil milhões de

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião42
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 2 semanas

Ajudas aos bancários, ajudas aos excedentários... Depois chega sempre aquele dia em que pedem ajuda ao FMI. A receita socialista do costume.

comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

O PSD devia ter deixado os bancos já sem solução alguma entrar em processo de falência e liquidação. Os bancos com alguma solução ou alguma esperança, como o BCP, deviam ter sido nacionalizados, reestruturados e consolidados com a CGD. Isso só não foi possível porque a legislação laboral e a máfia sindical nunca permitiriam despedir os milhares de excedentários dai resultantes. Temos as leis e a cultura de gestão que temos. Não digam agora que isso não acarreta custos enormes para o Estado e para a economia, porque seria uma rotunda mentira dizê-lo.

SALAZAR Há 2 semanas

O QUE DIZEM AGORA OS HIPÓCRITAS DO PC E DO BLOCO DE ESQUERDA? A CASSETE DA BANCA, ETC... PARECE QUE JÁ NÃO OUVEM A MESMA CASSETE. EM VEZ DA BANCA SER SANCIONADA É PREMIADA. VALE A PENA SER CRIMINOSO EM PORTUGAL. O POVO PAGA.

SALAZAR Há 2 semanas

UM ESCÂNDALO. O COMUM DO PORTUGUÊS É O QUE TEM OS RENDIMENTOS MAIS BAIXOS DA EUROPA E ESTÁ AFUNDADO EM IMPOSTOS DIRECTOS E INDIRECTOS. TIVERAM QUE RESGATAR BANCOS GOVERNADOS POR CRIMINOSOS EM 20 MIL MILHÕES E ESTE GOVERNO AGORA AINDA LHES FAZ O FAVOR DE OS AJUDAR AINDA MAIS. O POVO CONTINUA A PAGAR.

O costa está a preparar o futuro... Há 2 semanas

Com estas beneces todas à banca, está a "criar" curriculum...
Quando sair do governo quer ter um lugar seguro...
Isto de ser político é muito cansativo... e ganha- se mal.
A banca é o futuro, sim o dele, .... à custa dos contribuintes...
Os tansos ainda batem palmas !!!

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
pub
pub
pub