IRC Portugal deve ter a taxa de IRC "mais arrojada" da União Europeia
IRC

Portugal deve ter a taxa de IRC "mais arrojada" da União Europeia

Álvaro Santos Pereira defende, que dentro de cinco a seis anos, todas as empresas devem beneficiar de uma taxa de IRC de 10%.
Portugal deve ter a taxa de IRC "mais arrojada" da União Europeia
Negócios 10 de janeiro de 2013 às 22:54

Numa entrevista concedida à RTP, o ministro da Economia defendeu que "Portugal deve ter a taxa de IRC mais arrojada da União Europeia". "Dentro de cinco a seis anos, todas as empresa devem beneficiar de uma taxa de IRC de 10% para que a economia possa ser mais competitiva", disse Álvaro Santos Pereira.

 

A 4 de Janeiro, o ministro da Economia tinha já afirmado que esta medida é "fundamental" e que Portugal só pode voltar a ter um crescimento sustentado se for competitivo ao nível fiscal". O objectivo, afirmou na altura, é Portugal ter "um IRC mais amigo das empresas, do investimento, e, por isso, do crescimento".

 

Quanto à questão da redução das indemnizações por despedimento para 12 dias, Álvaro Santos Pereira disse apenas que essa medida está prevista no memorando de entendimento com a troika - "e Portugal tem que cumprir o memorando de entedimento", sublinhou. 




Saber mais e Alertas
pub