Reforma do IRC Núncio: Prioridade era o IRC. Os outros impostos “poderão ser vistos no futuro”

Núncio: Prioridade era o IRC. Os outros impostos “poderão ser vistos no futuro”

O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais não se quis pronunciar sobre alterações ao IVA. A prioridade era a reforma do IRC. “Cada coisa a seu tempo”, afirmou Paulo Núncio.
Núncio: Prioridade era o IRC. Os outros impostos “poderão ser vistos no futuro”
Bruno Simão/Negócios
Sara Antunes 14 de outubro de 2013 às 16:40

No dia em que apresentou a reforma do IRC, Paulo Núncio foi confrontado pelos jornalistas com questões sobre a possível redução da taxa de IVA para a restauração. O secretário de Estado não se quis alongar sobre o assunto, referindo que a prioridade do Executivo era o IRC.

 

“Gostaria apenas de dizer que a prioridade foi a reforma do IRC. Tenho dito que a reforma fiscal do país se iniciaria com a reforma do IRC, estamos hoje a anunciar linhas gerais. O que gostaria de acrescentar é que cumprida esta reforma os outros impostos poderão ser revistos no futuro”, afirmou o responsável na conferência de imprensa.

 

“Cada coisa a seu tempo. Hoje é o IRC” porque é o imposto que tem mais impacto na economia e na criação de postos de trabalho, referiu.

 

“Tendo em conta a actual situação do país, era fundamental que [a reforma do IRC] fosse a primeira [a ser feita]. Concluída esta primeira etapa, os outros impostos serão tratados a seu devido tempo.”

 

As palavras do secretário de Estado parecem afastar alterações ao IVA na restauração no imediato. Esta tem sido uma das lutas do sector, que diz ser fundamental que a taxa de IVA na restauração, actualmente de 23%, seja reduzida para permitir salvar alguns negócios.




A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Jose Maria 14.10.2013

IRC Deveria baixar mais e com a mesma proporção aumentar o salario mínimos e outros salários baixos, para que se vá buscar esse imposto no consumo final, atrair investimento, diminuir o desemprego, diminuir apoios sociais e fazer crescer a economia.

comentários mais recentes
SPARTACUS 15.10.2013

e o salário mínimo que é uma miséria...ao menos 500 €.

O coelhinho nem soube como responder quando lhe perguntaram como havia de aguentar com 600 € quanto mais 500.

500 JÁ! PORRA...

Subam o IVA no LUXO, desçam o IRS - mais massa monetária pras familias gastarem! 14.10.2013

A questão IVA é simples e resume-se nestas considerações: desce o IVA, haverá SEMPRE menos valor para o estado, já que os preços não vão replicar um corte de 2% num produto que custe 0.75€ (- 0.015€) ou num carro de 45.000€ (- 800 €) e não é por isto que se venderão mais.
A descida do IRS entendo ser MAIS IMPORTANTE porque esse dinheiro vai fazer crescer a massa monetária das família e entrará na economia originando mais negócio e mais impostos indirectos, IVA, IRC, etc. e mais emprego!

donnisinnod 14.10.2013

...Ja pensaste em ser um empresario, ser presidente de um partido ou mesmo de Portugal , ter o teu proprio jornal e ao mesmo tempo ser um grande militar ?

Neste jogo simulador da vida real podes ser tudo isso , o sucesso depende de ti , e
aliás precisamos de ajuda para expulsar os espanhois do nosso territorio ..
vem experimentar :

----tiny.cc/zgwo4w

Anónimo 14.10.2013

E sobre o IRS?

ver mais comentários
pub