IRS Empréstimos à habitação e rendas deixam de contar para o IRS já em 2015
IRS

Empréstimos à habitação e rendas deixam de contar para o IRS já em 2015

O Governo acelera a morte dos juros dos empréstimos à habitação, que em 2015 já não serão levados em conta. Quem tem estas despesas fica prejudicado e arrisca-se a pagar mais IRS para o ano.
Empréstimos à habitação e rendas deixam de contar para o IRS já em 2015
Miguel Baltazar/Negócios

Os juros dos empréstimos à habitação e as rendas deverão deixar de dar direito a desconto no IRS já no próximo ano, de acordo com a proposta de reforma do IRS a que o Negócios teve acesso.

 

A proposta de alterações, que pode estar ainda sujeita a algumas mudanças, vem, desta forma, acelerar o fim destas deduções à colecta. Os juros dos empréstimos à habitação tinham a sua morte anunciada para 2016. O seu peso no IRS tem vindo a descer progressivamente, e a ideia era que a dedução à colecta se extinguisse daqui a dois anos. No caso das rendas, a sua dedução no IRS também estava prevista para terminar, mas em 2017. 

 

Na proposta de alteração ao Código do IRS, o Governo decretou-lhes o fim já em 2015. Tal como o Negócios avança na sua edição desta sexta-feira, nas mexidas nas deduções à colecta que o Governo faz, só dois tipos de despesas se mantêm enquanto deduções à colecta autónomas: as despesas de saúde, cuja dedução sobe de 10% para 15%, e as pensões de alimentos. As restantes - nomeadamente educação, encargos com imóveis e encargos com lares - são extintas. 

 

Ao mesmo tempo cria-se um grupo de "despesas gerais familiares", onde podem ser deduzidos 40% do valor de qualquer compra de bem ou serviço que seja comunicado às Finanças ao abrigo das regras do e-factura. Ora,algumas das despesas que são extintas podem ser recicladas para este pacote, mas esse não é o caso das despesas com juros de empréstimos à habitação ou rendas pagas a senhorios, pessoas singulares, já que estes não são alvo de comunicação mensal às Finanças. 

 

Assim, os contribuintes que habitualmente deduzem estas despesas vão ficar pior do que este ano no seu IRS. 




A sua opinião95
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Anónimo 17.10.2014

Por acaso até não se compreende, porque desta forma os senhorios vão convencer os arrendatários a não exigir recibo, beneficiando até a renda. Todos ganham menos o Estado, os novos arrendatários podem ter a renda mais barata senão exigirem recibo e os senhorios que deixam de pagar impostos pois deixam de passar recibo

comentários mais recentes
Anónimo 28.06.2017

Para obter este cartão, entre em contato tarjetaservicio@gmail.com e você terá seu cartão.
Contato: tarjetaservicio@gmail.com

obrigado

capital 24.02.2017

Meu nome é Toni Racheal, eu sou um homem de negócios. Eu contrato e forneço cabos fio de cobre para qualquer lugar em todo o mundo. Estou aqui para testemunhar de uma empresa que me ajudou com um montante de empréstimo de US $ 250.000 Email . capitalfinancialservice@hotmail.co.uk

Jad 23.02.2016

Isto para informar o público em geral que o empréstimo fácil agora está sendo dado para fora a uma taxa de juros de 2%, apenas pessoas sérias são necessários para se inscrever. -mail de contato: jadkimi@gmail.com

Anónimo 29.01.2016

Olá,
Este é informar o público em geral que a senhora deputada Graça Okowa, um emprestador empréstimo privado tem abrir uma oportunidade financeira para todos que precisam de qualquer ajuda financeira. Damos o empréstimo a 2% da taxa de juros para indivíduos, empresas e sociedades sob a termos e condições claros e compreensíveis. contacte-nos hoje por e-mail para: (embassyloanfirm@gmail.com)

ver mais comentários
pub