Justiça Autor do atentado contra autocarro do Dortmund queria beneficiar com queda das acções

Autor do atentado contra autocarro do Dortmund queria beneficiar com queda das acções

Sergej W. reservou um quarto no mesmo hotel do Dortmund e daí deu ordem de compra de opções sobre acções do clube, antes de colocar explosivos no autocarro. Foi detido esta sexta-feira.
Autor do atentado contra autocarro do Dortmund queria beneficiar com queda das acções
Reuters
Nuno Carregueiro 21 de abril de 2017 às 08:35

A polícia alemã deteve o presumível autor do atentado contra o autocarro do Borussia Dortmund, um jovem de 28 anos que pretendia beneficiar com a queda das acções do clube alemão na bolsa.

 

O suspeito, que tem nacionalidade alemã e russa, foi detido esta sexta-feira na cidade de Tuebingen, de acordo com um comunicado da procuradoria germânica, que dá conta dos alegados motivos do crime.

 

O alegado autor do atentado comprou 15 mil opções de venda sobre acções do Dortmund, esperando tirar partido da queda dos títulos (que faria subir o valor das opções) em consequência do ataque ao autocarro da equipa.

 

O suspeito, que foi identificado por Sergej W., reservou um quarto no mesmo hotel onde estava a equipa alemã e foi aí que deu a ordem de compra das opções sobre as acções.

Foi esta a pista que seguiu a polícia alemã, pois detectou o IP do hotel onde a ordem de compra dos títulos foi dada. Para financiar esta compra de opções Sergej W. contraiu um crédito ao consumo.

 

O ataque acabou por quase não ter efeitos na cotação das acções do Dortmund. No dia do ataque, 11 de Abril, as acções caíram 2,06%. No dia seguinte valorizaram 1,75% e na sexta-feira desvalorizaram 3,84%. Nesta quarta-feira, 20 de Abril, caíram mais 3,26% na sequência da eliminação da Champions.

 
A procuradoria-geral alemã assinala que se do ataque resultasse a morte ou o ferimento grave de jogadores, as acções poderiam ter reagido em forte queda. Neste cenário de descida acentuada das acções, o autor do ataque iria ter "lucros que representariam várias vezes o investimento" efectuado nas opções, refere a procuradoria. 


O ataque ao autocarro do Dortmund provocou ferimentos num dos jogadores da equipa alemã e levou ao adiamento do jogo por 24 horas. O Dortmund perdeu os dois jogos da eliminatória contra o Mónaco, tendo sido afastado da Liga dos Campeões.





A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 21.04.2017

As operações de investimento de short selling e daytrading deviam ser ilegalizadas como nos mercados chineses. Não fazem sentido e são contraproducentes. No sector financeiro, a China está totalmente certa nisto e também em ter os seus maiores bancos cotados nas bolsas de valores sob a alçada do Estado que é o seu maior accionista. A transparência, escrutabilidade, estabilidade e resiliência de todo o sistema financeiro e por inerência económico, fica assim mais convenientemente acautelada e garantida.

comentários mais recentes
suiriri 21.04.2017

Policia detém suspeito de ataque ao autocarro do Dortmund.
"O suspeito afirmou que no dia do ataque tinha comprado 15 000 títulos que lhe permitiam vender as ações do Borússia Dortmund a um determinado preço, obtendo assim um elevado lucro com os mesmos."
"Se as ações do Borússia Dortmund caíssem significativamente, o lucro teria sido várias vezes superior ao investimento inicial", disse a procuradoria..
Pois bem:- Seria uma boa oportunidade para criminalizar os especuladores das Bolsas para conseguirem também elevados lucros...embora com outra especificação jurídica

Anónimo 21.04.2017

A diferença entre este bombista e os bombistas do BES do Banif do BPN do BPP e de outros bancos no resto do mundo é que este fez pela mão dele e os outros fizeram pelos seus empregados... a venda a descoberto é uma aldrabice completa e só existe para roubar os pequenos aforradores...

Portugal é lixo e Bitcoin é um investimento de fut 21.04.2017

A ditadura comunista na China não é um Estado transparente a nível económico-financeiro. Proibir o shortselling/daytrading não vai parar as quedas do lixo da bolsa portuguesa. A bolsa cai por falta de ordens de compra. Quem vende curto tem depois que comprar para sair da posição sustentando o preços

Anónimo 21.04.2017

Estes merd@$ destes bandidos são os mesmos que querem o bitcoin a dominar o mundo, em vez de uma moeda 100% digital num sistema gerido e controlado centralmente pelos Estados, para andarem a traficar todo o tipo de tráfico ilegal e a cometer todo o tipo de fraudes, burlas e roubos, incluindo cibercrime, extorsão, corrupção e chantagem, sem serem rastreados e apanhados.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub