Justiça Vistos Gold: António Figueiredo libertado

Vistos Gold: António Figueiredo libertado

O juiz Carlos Alexandre, do Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC), decidiu marcar para 8 de abril a decisão de levar ou não a julgamento os arguidos do processo dos vistos 'Gold'.
Vistos Gold: António Figueiredo libertado
Lusa 19 de Março de 2016 às 18:23

O ex-presidente do Instituto dos Registos e Notariado (IRN), que estava em prisão domiciliária no âmbito do processo dos vistos 'Gold' foi libertado por ter expirado o prazo máximo da medida de coacção, disse à Lusa o seu advogado.

 

Na terça-feira, o juiz Carlos Alexandre (na foto), do Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC), decidiu marcar para 8 de abril a decisão de levar ou não a julgamento os arguidos do processo dos vistos 'Gold'.

 

Durante o debate instrutório, Carlos Alexandre disse que expirava na sexta-feira o prazo máximo para que o arguido António Figueiredo, antigo presidente do Instituto de Registos e Notariado, pudesse estar em prisão domiciliária com pulseira eletrónica, passando, por isso, a ficar em liberdade.

 

O caso dos vistos 'Gold' tem 17 arguidos, incluindo o ex-ministro da Administração Interna Miguel Macedo, o ex-diretor nacional do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras Manuel Jarmela Palos, o ex-presidente do Instituto de Registos e Notariado António Figueiredo e a ex-secretária-geral do Ministério da Justiça Maria Antónia Anes.

 

O processo dos vistos 'Gold' surgiu na sequência da Operação Labirinto, que, em novembro de 2014, envolveu várias buscas e 11 detenções.

 

A Operação Labirinto estava relacionada com a aquisição de vistos 'Gold' e investiga indícios de corrupção ativa e passiva, recebimento indevido de vantagem, prevaricação, peculato de uso, abuso de poder e tráfico de influência.

 



A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
E isto num pais na U Europeia! 20.03.2016

Palavras pra que? Este e' um verdadeiro "artista portugues"!
Entretanto os portugueses,a grande maioria deles,ficam aparvalhados com tanta falta de vergonha !

adolfodido 19.03.2016

Alexandre, bem estendemos a coisa. Não devemos maltratar a familia não é? Aos da "familia" tudo se desculpa.O amigo Figueiredo teve uns pequenos deslizes, claro, mas nada de grave.Tudo investigado, explicado, libertado,e agora aguardamos a prescrição.Simples e económico.

Anónimo 19.03.2016

Aqui esta o homem que poe o arrogante ladrao 44 a gaguejar,mais nada.

pub
pub
pub
pub