Angola Angola sai da recessão e cresce 1,9% este ano

Angola sai da recessão e cresce 1,9% este ano

A consultora FocusEconomics estima que a economia de Angola cresça 1,9% este ano, depois de dois anos de recessão, e acelere para os 2,3% em 2019, antecipando menos défice e dívida pública.
Angola sai da recessão e cresce 1,9% este ano
Lusa
Lusa 16 de agosto de 2018 às 21:35

"A economia deve emergir da recessão em 2018 devido aos preços mais altos do petróleo, que são benéficos para o segundo maior produtor de petróleo na África subsariana", escrevem os consultores na análise deste mês às economias africanas, enviada esta semana aos investidores e a que a Lusa teve acesso.

 

Os analistas da FocusEconomics esperam um crescimento económico de 1,9% este ano e uma aceleração para 2,3% em 2019, e depois uma subida para 2,8% em 2020 e 3,3% e 3,8% nos dois primeiros anos da próxima década.

 

A dívida pública, por seu turno, deverá aumentar de 64,1% no ano passado para 73,7% este ano, mas depois deverá descer para 68,6% e 67,2% até 2020, caindo para 61,4% em 2022.

 

Para já, dizem, "uma forte recuperação económica ainda está por se materializar este ano, já que o indicador de clima económico manteve-se solidamente em terreno negativo no primeiro trimestre", nos 14 pontos negativos, uma tendência que se mantém desde 2015, um ano depois da descida dos preços do petróleo, no verão anterior.

 

Elogiando as reformas lançadas pelo Governo do Presidente João Lourenço, e vincando que "o FMI elogia as políticas económicas", a FocusEconomics acrescenta que "o sector privado deve beneficiar significativamente das reformas estruturais e do empenho do Governo no aumento da concorrência no mercado interno".




pub