Angola Tribunal de Luanda condena activistas a penas entre dois e oito anos de prisão efectiva

Tribunal de Luanda condena activistas a penas entre dois e oito anos de prisão efectiva

O tribunal de Luanda condenou a penas entre dois anos e três meses e oito anos e seis meses de prisão efectiva os 17 activistas angolanos julgados por coautoria de actos preparatórios para uma rebelião. Foram igualmente condenados por associação criminosa. 
A carregar o vídeo ...
Lusa 28 de março de 2016 às 14:10

No caso do 'rapper' luso-angolano Luaty Beirão, a pena, em cúmulo jurídico também por falsificação de documentos, foi de cinco anos e seis meses de cadeia.

17 activistas angolanos foram esta segunda-feira condenados pelos crimes de "actos preparatórios de rebelião e associação de malfeitores".

Este caso remonta a 20 de Junho de 2015 quando os jovens foram "surpreendidos durante uma acção de formação, que as autoridades consideraram preparação para actos de rebelião e atentado contra o presidente José Eduardo dos Santos", recorda o site Rede Angola.

O mesmo site escreve que, segundo a acusação, "ficou provado que os debates realizados pelos activistas não serviam apenas para ler os livros, mas que estes planeavam como concretizar os actos de rebelião".

"Também pelo facto de não responderem a nenhuma das questões do juiz e nem da acusação, a representante do Ministério Público alegou que os 17 activistas formaram uma associação de malfeitores, liderada pelo co-réu Domingos da Cruz – o autor dos manuais nos quais se baseava a formação dos réus e principal formador do grupo – e por Luaty Beirão, e pediu a condenação dos arguidos pela formação de organização criminosa", acrescenta o Rede Angola.

 

As penas dos 17 activistas angolanos
Luaty Beirão: cinco anos e seis meses

Rosa Conde e Jeremias Benedito: 2 anos e 3 meses de prisão

Nuno Dala, Sedrick de Carvalho, Nito Alves, Inocêncio de Brito, Laurinda Gouveia, Fernando António Tomás "Nicola", Mbanza Hamza, Osvaldo Caholo, Arante Kivuvu, Albano Evaristo Bingo, Nelson Dibango, Hitler e José Gomes Hata: 4 anos e seis meses de prisão. 

Domingos da Cruz: 8 anos e seis meses de pena

(Notícia actualizada com mais informação)




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Pricemt 28.03.2016

Quem com corruptos negoceia corrupto é ... Eduardo dos Santos e seu bando corruptores ativos e os sucessivos governos portugueses ( da esquerda à direita) corruptos passivos

comentários mais recentes
Sanções já 29.03.2016

Não há relações financeiras com ditaduras corruptas

Teixeira 28.03.2016

Um país de corruptos com presos políticos é o meu sonho. Vou já reservar uma passagem para Angola no próximo voo. Ainda se condena a descolonização... Aquilo nunca devia era ter sido colonizado. A verdade é que se alguém se lixo à grande com as colónias, foram os portugueses daqui.

Pricemt 28.03.2016

Quem com corruptos negoceia corrupto é ... Eduardo dos Santos e seu bando corruptores ativos e os sucessivos governos portugueses ( da esquerda à direita) corruptos passivos

Maria Valentina Umer 28.03.2016

Portugal faz negócios de alto nível com Angola e com o seu ditador. Os governantes portugueses nos últimos anos, muitos dos tais retornados de Angola, querem-se aproveitar dos dois países. Portugal é tao corrupto como a Angola. Portugal nao pertence á comunidade da UE!

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub