Américas Furacão Irma "vai devastar os Estados Unidos"

Furacão Irma "vai devastar os Estados Unidos"

O director da agência federal de gestão de emergências alerta para o impacto que o fenómeno meteorológico - o segundo de grande envergadura a atingir território norte-americano no espaço de dias - terá este fim-de-semana em particular na Florida.
Furacão Irma "vai devastar os Estados Unidos"
Reuters
Paulo Zacarias Gomes 08 de setembro de 2017 às 12:52
O furacão Irma, que nas próximas horas deverá chegar a território continental norte-americano, vai "devastar os Estados Unidos". A expressão é do director da FEMA - a agência federal de gestão de emergências -, que espera que a intensidade dos ventos e da chuva deixe várias zonas do Estado da Florida sem electricidade durante vários dias. 

Numa conferência de imprensa esta sexta-feira, 8 de Setembro, Brock Long reconheceu tratar-se de uma "previsão complexa" que só terá contornos nas próximas 72 horas, mas avisou que o furacão terá impacto não apenas na Florida mas também em estados do Sudeste do país, desde o Alabama até à Carolina do Norte. 

"Não é uma questão se a Florida vai ser impactada, é como é que vai sê-lo," acrescentou, apelando à população que está sob ordens de evacuação para que saia das zonas inundáveis e mais vulneráveis ao longo dos quatro a cinco dias em que o fenómeno fará previsivelmente a sua passagem por terra.

"Cada família da Florida deve preparar-se para a evacuação, independentemente da costa em que vivam," tinha apelado o governador do Estado, Rick Scott, citado pelo The New York Times, aludindo à evolução imprevisível da direcção do furacão.

Já Brock Long estima que 100 mil pessoas possam vir a precisar de ser deslocadas e de procurar abrigo alternativo durante a passagem da tempestade.

"Quando o Harvey chegou a terra no Texas progrediu pelo continente e enfraqueceu muito rapidamente. Contudo, o Irma pode reter muita da sua força," tinha afirmado minutos antes à Reuters o meteorologista Jason Setree, do Commodity Weather Group.

No Twitter, o presidente norte-americano reforçou o aviso que tem deixado nos últimos dias às populações das zonas que podem ser afectadas: "O furacão Irma tem proporções épicas, talvez maiores do que alguma vez vimos. Protejam-se e saiam da sua rota, se possível. O Governo Federal está pronto!", recordando ainda que a Guarda Costeira salvou mais de 15 mil vidas na semana passada aquando do Harvey mas que o Irma "pode ser ainda mais forte".



O Irma, o furacão mais potente registado até ao momento no Atlântico, deverá atingir as Florida Keys e o Sul da Florida no sábado à noite, depois de ter deixado um rasto de destruição nas ilhas de Saint Martin, São Bartolomeu e Porto Rico, fazendo cerca de duas dezenas de mortos. 

Além do Irma - cujos ventos chegaram aos 295 quilómetros por hora nas Caraíbas no grau máximo, mas que entretanto foi revisto em baixa para categoria 4 - há outros dois furacões a progredir em simultâneo no Atlântico, Jose e Katia.

(Notícia actualizada às 13:36 com mais informação)



Saber mais e Alertas
pub