Ásia Economia do Japão contraiu no último trimestre de 2015

Economia do Japão contraiu no último trimestre de 2015

O Japão viu a sua economia encolher nos últimos três meses de 2015, desafiando as políticas do primeiro-ministro Shinzo Abe.
Economia do Japão contraiu no último trimestre de 2015
Reuters
Negócios 15 de Fevereiro de 2016 às 00:32

A economia japonesa contraiu no último trimestre de 2015. A queda do PIB nipónico nos três meses que fecham o ano foi de 0,4% na evolução em cadeia, depois de ter subido no trimestre anterior 0,3%. 

A queda foi abaixo das estimativas dos analistas que apontavam, segundo o Financial Times, para uma contracção de 0,2%.

O que contribuiu para que o valor anualizado ficasse negativo em 1,4% no quarto trimestre, face a uma estimativa, segundo a Bloomberg, de queda de 0,8%. Foi a maior queda desde que em Setembro de 2014, o PIB registou uma contracção de 2,8%, e que levou o Japão à recessão.

Um consumo privado fraco está na base da principal justificação para esta queda, segundo a Bloomberg, colocando interrogações sobre as políticas do primeiro-ministro Shinzo Abe. "Há nuvens no horizonte da economia do Japão. Com um iene fortalecido, as companhias vão ficar mais cautelosas nos investimentos e as exportações poderão abrandar, enquanto o consumo privado continuar a tentar descolar", comenta o economista Atsushi Takeda, do Itochu, citado pela Bloomberg.

Os dados revelados esta segunda-feira, 15 de Fevereiro, mostram que o investimento empresarial subiu 1,4% no quatro trimestre face aos três meses anteriores. O consumo privado caiu 0,8%. 

Para o conjunto do ano, a economia cresceu 0,4%.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub