Ásia Exportações e importações chinesas aceleram em Setembro

Exportações e importações chinesas aceleram em Setembro

O crescimento de 18,7% das importações da China superou as estimativas dos analistas, enquanto as vendas para o exterior ficaram ligeiramente aquém.
Exportações e importações chinesas aceleram em Setembro
Reuters
Rita Faria 13 de outubro de 2017 às 07:47

Tanto as exportações como as importações da China subiram mais em Setembro do que no mês anterior, sugerindo que a segunda maior economia do mundo continua a crescer a um forte ritmo, ao contrário do que apontam muitas estimativas.

 

De acordo com os dados revelados esta sexta-feira, 13 de Outubro, as importações, denominadas em dólares, aumentaram 18,7% em Setembro, face ao mesmo mês do ano passado, superando as previsões dos analistas consultados pela Reuters que antecipavam um acréscimo de 13,5%. Em Agosto, as compras ao exterior cresceram 13,3%.

 

Já as exportações subiram 8,1%, um ritmo superior ao registado no mês anterior (5,5%), mas ligeiramente abaixo do antecipado pelos analistas (8,8%).

 

O excedente da balança comercial caiu de 42 mil milhões de dólares em Agosto para 28,47 mil milhões em Setembro.

 

Mais uma vez, as importações da China foram lideradas por materiais como o aço e o cobre, com o ‘boom’ no sector da construção a aumentar a procura por este tipo de recursos.

 

As importações chinesas de minério de ferro atingiram um recorde de 103 milhões de toneladas, o que compara com 88,7 milhões de toneladas em Agosto, de acordo com cálculos da Reuters. As importações de cobre foram as mais elevadas desde Março.

 

A economia chinesa cresceu 6,9% no primeiro semestre deste ano mas, de acordo com a Reuters, a maioria das previsões aponta para um abrandamento na segunda metade do ano.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub