Mundo EUA anunciam sanções à Rússia por ataque a espião

EUA anunciam sanções à Rússia por ataque a espião

O ataque a Skripal, no último mês de Março, vai ser sancionado pelos EUA com limitações nas exportações. Outras penalizações, motivadas pela suposta interferência russa nas eleições americanas de 2016, também podem estar a caminho.
EUA anunciam sanções à Rússia por ataque a espião
Reuters
Negócios 09 de agosto de 2018 às 07:46

Os EUA anunciaram esta quarta-feira que, no dia 22 de Agosto, irão impor sanções à Rússia. A motivar esta decisão está o ataque ao espião russo, Seigei Skripal, e à sua filha Yulia, que alegadamente terão sido envenenados por ordem de Moscovo, avança a Bloomberg.

Trump planeia limitar as exportações para a Rússia de produtos e tecnologia americana, quando considerados sensíveis em termos de segurança nacional. Em causa estarão centenas de milhares de dólares em exportações, informou ainda um oficial do gabinete de Estado, anonimamente.

As penalizações estão apoiadas por um tratado de 1991, que pretende o controlo de armas biológicas e químicas, e como tal prevê que sejam castigados os países que violem a lei internacional recorrendo a estas armas.

O envenenamento de Skripal remonta a Março deste ano. Na altura, assistiu-se à expulsão de diplomatas russos de vários países, desde os EUA ao Reino Unido, entre outros, expulsões estas que foram retaliadas pela Rússia na mesma moeda. Contudo, o gigante de leste negou qualquer envolvimento no ataque ao agente duplo Skripal e à sua filha (Yulia). Sergei Skripal foi agente duplo ao serviço dos serviços de informação britânicos ao longo dos anos 1990 e já neste século, tendo vendido segredos do Kremlin ao MI6.

Para além destas ameaças, outras "sanções esmagadoras" podem estar a caminho, desta vez como retaliação à alegada interferência do Governo de Putin nas eleições americanas de 2016, nas quais Trump se tornou presidente da maior economia do mundo.




pub