Mundo Steve Wynn demite-se do cargo de responsável pelas finanças do Partido Republicano

Steve Wynn demite-se do cargo de responsável pelas finanças do Partido Republicano

O magnata dos casinos demitiu-se na sequência das denúncias noticiadas pelo The Wall Street Journal de agressões sexuais a mulheres.
Steve Wynn demite-se do cargo de responsável pelas finanças do Partido Republicano
Reuters
Negócios 27 de janeiro de 2018 às 22:33

Steve Wynn demitiu-se do cargo de responsável pelas finanças do Partido Republicano dos Estados Unidos, um dia depois de o The Wall Street Journal ter noticiado que o magnata dos casinos agrediu sexualmente várias mulheres com quem trabalhou.

"Hoje aceito a demissão de Steve Wynn como responsável pelas finanças do Partido Republicano", afirmou Ronna Romney McDaniel, líder do Comité do Partido Republicano, num comunicado, citado pela Reuters.

O bilionário negou as acusações, classificando-as de "absurdas", e disse que foram instigadas pela sua ex-mulher com o objectivo de tirar vantagem no processo de divórcio.

Wynn, fundador e presidente da Wynn Resorts Ltd, apoiou o agora presidente dos Estados Unidos na campanha de 2016 e foi nomeado responsável pelas finanças do Partido Republicano depois da vitória de Trump.

O The Wall Street Journal, que avançou a notícia, referiu que os antigos e actuais funcionários da empresa que foram entrevistados acusaram Wynn de criar um ambiente de trabalho hostil para as mulheres e de pressionar regularmente as funcionários a realizar actos sexuais.

"A ideia de ter atacado qualquer mulher é absurda", disse Wynn em comunicado, na sexta-feira. "A instigação dessas acusações é o trabalho contínuo da minha ex-mulher, Elaine Wynn, com quem estou envolvido numa acção terrível e desagradável com a qual ela procura uma revisão do acordo de divórcio".

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar