Mundo Turquia sobe tarifas sobre bens dos EUA. Taxa sobre carros aumenta 120%

Turquia sobe tarifas sobre bens dos EUA. Taxa sobre carros aumenta 120%

Um dia depois do apelo a um boicote a produtos electrónicos dos EUA, Erdogan ordenou uma subida das tarifas sobre uma série de bens dos EUA, incluindo álcool, tabaco e automóveis.
Turquia sobe tarifas sobre bens dos EUA. Taxa sobre carros aumenta 120%
EPA/Lusa
Rita Faria 15 de agosto de 2018 às 07:37

Cinco dias depois de o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ter anunciado uma duplicação das tarifas aplicadas às importações turcas de aço e alumínio, chega a resposta de Ancara: as taxas aduaneiras aplicadas a uma série de bens norte-americanos também vão subir, em alguns casos para mais do dobro.

A Gazeta Oficial da Turquia anunciou esta quarta-feira, 15 de Agosto, que o governo decidiu aumentar as tarifas sobre um conjunto de importações dos Estados Unidos, incluindo automóveis, tabaco e álcool.

O decreto, que foi assinado pelo presidente Recep Tayyip Erdogan, sobe as taxas aduaneiras aplicadas às bebidas alcoólicas em 140%, ao tabaco em 60% e aos automóveis em 120%. Produtos como cosméticos, arroz e carvão também sofrem um agravamento.

"Sob o princípio da reciprocidade, as taxas sobre as importações de certos produtos foram aumentadas, em resposta aos ataques conscientes da administração dos EUA contra a nossa economia", comentou o vice-presidente do país, Fuat Oktay.

Esta decisão surge um dia depois de o presidente Erdogan ter apelado a um boicote a produtos electrónicos dos Estados Unidos, incluindo o famoso iPhone, em retaliação contras as medidas punitivas anunciadas por Trump para pressionar a Turquia a libertar o pastor norte-americano que está detido no país, o caso que desencadeou a tensão diplomática entre as duas nações.

Erdogan disse que o seu país de 80 milhões de pessoas deixaria de comprar produtos electrónicos norte-americanos, condenando o "ataque económico explícito" contra a Turquia.

"Há um custo para aqueles que estão a conspirar contra a Turquia", afirmou Erdogan no primeiro de dois discursos em Ancara, sem especificar quando é que o boicote iria começar ou como seria aplicado. Citando o iPhone, Erdogan sugeriu que os turcos comprem Samsung ou smartphones de marcas locais como o Venus Vestel.




Saber mais e Alertas
pub