Mundo UE avisa EUA que relação comercial bilateral vai mudar com Brexit

UE avisa EUA que relação comercial bilateral vai mudar com Brexit

O negociador-chefe da União Europeia para o Brexit, Michel Barnier, advertiu esta quarta-feira os empresários dos EUA que a relação comercial transatlântica "não voltará a ser como era" depois da saída do Reino Unido da União Europeia.
UE avisa EUA que relação comercial bilateral vai mudar com Brexit
Bloomberg
Negócios com Lusa 11 de julho de 2018 às 22:51

"Os negócios não vão voltar a ser o que eram devido ao Brexit. Esta é a verdade. E deveríamos preparar-nos para qualquer tipo de cenário, incluindo o de falta de acordo", declarou Michel Barnier (na foto) a um grupo de empresários, com quem se reuniu esta quarta-feira, durante uma conferência organizada pela Câmara de Comércio dos EUA, em Washington.

 

O funcionário europeu recordou aos presentes que o Reino Unido decidiu abandonar de "maneira automática" os 750 acordos internacionais que o vinculam ao continente europeu e que, além disso, definiu uma série de 'linhas vermelhas' para marcar a relação com os seus antigos parceiros.

 

"Não se querem submeter à Justiça europeia, nem aceitar a liberdade de movimentos, nem continuar a pagar à União Europeia", lamentou Barnier, que declarou que respeita a decisão britânica, mas defendeu que chegou o momento de concretizar a saída do Reino Unido, depois do referendo de 2016.

 

Barnier sublinhou que "fora" do mercado único europeu é necessário submeter-se a uma série de controlos, pelo que convidou os norte-americanos a "analisarem o seu nível de exposição" ao Reino Unido antes de este sair da União Europeia, o que está previsto para Março de 2019.

 

A saída do Reino Unido da União Europeia continua assim a marcar a agenda internacional e estava já previsto que o principal negociador da União Europeia para o Brexit falasse hoje em Washington sobre as conversações da UE com o Reino Unido e a relação entre as duas partes após a saída dos britânicos do bloco europeu.

 

Esta semana o governo de Theresa May teve várias baixas. A última delas, aprovada pela mesma, foi a de Boris Johnson, que largou a pasta dos Negócios Estrangeiros, tendo sido substituído por Jeremy Hunt. Antes desta mudança, David Davis, o ministro do Brexit, abdicou da posição, e saiu acompanhado de Steve Baker, o seu número dois.  

Os ministros demitiram-se por não se reverem no plano para o Reino Unido que May está a delinear para quando o país sair da União Europeia e que aponta para um "soft Brexit".




pub