Política Monetária Banco Central da China sinaliza mais estímulos

Banco Central da China sinaliza mais estímulos

Zhou Xiaochuan assegurou que o banco central da China tem ainda diversos instrumentos de política monetária para actuar caso os riscos na economia do país e mundial aumentem.
Banco Central da China sinaliza mais estímulos
Bloomberg
Vera Ramalhete 26 de Fevereiro de 2016 às 13:07

O governador do Banco Central da China, Zhou Xiaochuan, procurou reforçar a confiança dos investidores, esta sexta-feira, indicando que poderá aumentar os estímulos à economia. A China tem ainda "algum espaço para políticas monetárias" e "diversos instrumentos políticos para responder a possíveis riscos", disse o governador, citado pela Bloomberg.  

"Tendo em conta a actual situação da economia chinesa e global, as nossas políticas monetárias são agora prudentes e relativamente acomodatícias", disse Zhou, no âmbito da reunião do G20, em que as maiores economias do mundo discutem as perspectivas de crescimento. "Temos que monitorizar de perto os desenvolvimentos e realizar os ajustes adequados", assegurou.

"Ainda temos algum espaço e muitos instrumentos para enfrentar possíveis riscos", afirmou o governador, indicando que irá actuar caso seja necessário. "O ritmo irá variar, mas as reformas são para continuar e a direcção não mudou", assegurou  Zhou, citado pelo The Guardian.

O governador procurou ainda afastar a especulação em torno de novas desvalorizações do yuan e indicou que as reservas de moedas estrangeiras serão mantidas em níveis "adequados".

Após estes sinais de novos estímulos, as bolsas da China subiram, recuperando das fortes quedas da sessão anterior. O Shangai Composite Index subiu 0,98% para 2.767,210. O índice CSI 300, que reúne as 300 maiores cotadas em Xangai e Schenzen, ganhou 1%. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub