Política António Costa: Entendimento com Seguro deverá ser clarificado até 10 de Fevereiro

António Costa: Entendimento com Seguro deverá ser clarificado até 10 de Fevereiro

António Costa diz que há um “empenho de todos para procurar construir uma unidade” no Partido Socialista. Mas esse esforço de entendimento com António José Seguro será clarificado até 10 de Fevereiro, dia em que decorre a comissão política do partido.
António Costa: Entendimento com Seguro deverá ser clarificado até 10 de Fevereiro
Negócios 31 de janeiro de 2013 às 11:42

“A unidade desejada pelos militantes não é algo que se decrete. Se a orientação estratégica for comum, não há razão para divisão de listas. Se não há, é natural que se exprima [o desacordo] na sua pluralidade”, afirma António Costa na “Quadratura do Círculo” que será transmitido na SIC Notícias esta quinta-feira à noite.

 

“Aquilo que foi o resultado da comissão política não é que não há desacordo, o que resultou é um empenho de todos para procurar construir essa unidade”, acrescentou.

 

E quanto ao entendimento com Seguro, António Costa diz que “esse é um esforço que se clarifica rapidamente. Até porque há calendários que estão a correr: há uma comissão nacional do PS a 10 de Fevereiro” e “até lá tem de haver clarificações da possibilidade, ou impossibilidade, de haver entendimento comum.”

 

No que respeita às críticas que foram feitas a António Costa de responsáveis que defendem Seguro, o presidente da Câmara de Lisboa, diz que ouviu e “não gostou”. “É um tipo de linguagem impróprio para o PS. É um tipo de linguagem que não tem tradição no PS. E não só não tem tradição como não tem futuro.”

 

Na quarta-feira à noite, António José Seguro foi ao programa “Negócios da Semana” da SIC Notícias, onde disse ser ele o líder ideal para o PS. “Se tivesse alguma dúvida [disso] eu próprio colocaria o cargo à disposição.”

 

Sobre António Costa, Seguro diz que “não é só um político experiente. É um dos principais dirigentes do Partido Socialista, é um excelente presidente da Câmara Municipal de Lisboa e tem todo o direito de ter as suas opiniões e a dar os seus contributos.”

 

Quanto à reunião do PS, que decorreu esta semana, Seguro considera que “não há vencedores, nem vencidos”, já que se criou “um clima de união”. “Não quero um partido unanimista. A união não se constrói na unicidade, constrói-se na pluralidade”, acrescentou.




A sua opinião10
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado J. Alves 31.01.2013

O PS copiou o modelo do Bloco, ou seja uma liderança bicéfala. Agora não se sabe muito bem quem é que manda, se é o Seguro se é o Costa. Na minha opinião é o Costa...

comentários mais recentes
Trazanda 31.01.2013

Qual é a pressa? Qual é a pressa?Um murro por baixo dos queixos por ser só ele a não conseguir ver qual é a pressa! Pressa ò seu cavalgadura, pressa é de despacharmos um fútil que não diz nada de jeito para o nosso futuro.Percebeste agora qual é a pressa?

João G 31.01.2013

NOVA PROGRAMAÇÃO TELEVISIVA: PERDOA-ME primeiros convidados: TÓ ZÉ e TÓ COSTA apresentador: Zorrinho realização: Silva Pereira (Sócrates &Cª) horário: abertura telejornais

Anónimo 31.01.2013

O PS dificilmente será capaz de apresentar um programa alternativo viável ao do governo atual e, o que é mais provável, perderá as próximas eleições legislativas.

Anónimo 31.01.2013

Estes senhores deveriam viajar para Marte pelo menos os portugueses não correriam o perigo de os ter devolta e com eles a Troyka ou a bancarrota. O povo já não é tão parvo como eles nos julgam. Esta jogada foi para estarem na ribalta uma vez que já estavam a ser ignorados. Mais uma jogada à socialista.

ver mais comentários
pub