Política António Costa: "Pedra angular da reforma do Estado é a descentralização"

António Costa: "Pedra angular da reforma do Estado é a descentralização"

O primeiro-ministro, António Costa, disse que é necessário redefinir a função da economia do interior para ganhar a batalha da frente peninsular e realçou a importância da Unidade de Missão para o Interior neste combate.
António Costa: "Pedra angular da reforma do Estado é a descentralização"
Bruno Simão
Negócios 05 de Março de 2016 às 16:00

"Aquilo que temos hoje de fazer é redefinir a função económica do interior e o país precisa muito que isso aconteça. Se não vencermos essa batalha, não sustentamos sequer os graus de coesão" conquistados até agora, afirmou o primeiro-ministro, durante a cerimónia de comemoração dos 100 dias de Governo que decorreu em Idanha-a-Nova.

Para o governante, a criação da Unidade de Missão para a Valorização do Interior, que será coordenada pela deputada socialista Helena Freitas, "é da maior importância" para ganhar aquilo a que designou de "frente peninsular" e para o esforço de descentralização que considera necessário fazer nos próximos anos.

"Para isso é necessário alinhar as estratégias e que a Unidade de Missão seja capaz de pôr todo o Governo a trabalhar para este objectivo", disse.

Costa explicou que o relançamento da economia é fundamental para o país e exige uma melhoria na criação das condições de investimento e no aumento do potencial de crescimento.

"Para que o país possa, de uma forma sustentada, olhar para o futuro, é essencial aumentar o potencial de crescimento. O país definhou desde o princípio do século", sustentou.

E, neste âmbito, realçou que a valorização do território "é uma componente essencial" e considerou que toda a raia de fronteira "é fundamental para a afirmação da economia portuguesa no mercado ibérico" e, consequentemente, no mercado europeu.

O primeiro-ministro considerou ainda prioritário o "virar de página" em relação àquilo que historicamente ainda hoje condiciona o país.

Adiantou que se se quer ter uma administração mais eficiente, tem que se "apostar determinantemente na descentralização".

"A pedra angular da reforma do Estado é a descentralização. É assim que conseguiremos reformar o Estado", frisou.

O governante voltou a falar da Unidade de Missão para a Valorização do Interior, como uma estrutura que "todos consideram destinada a ser uma missão impossível".

"Não há nenhuma razão para que não acreditemos que é possível mudar o interior", concluiu.

 

António Costa acrescentou que o mar e a fachada peninsular "são dois grandes domínios que permitirão alargar o espaço económico em Portugal".




A sua opinião10
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 22.09.2016


PS . BE . PCP - ESTRAGAM A VIDA A 9 MILHÕES DE PORTUGUESES

Para dar mais privilégios a 1 milhão de FP e seus pensionistas.

Anónimo 07.03.2016

Acreditando nos exemplos vindos das varias camaras, nas dividas acumuladas, na desresponsabilizacao de varios servicos que o anterior governo quis endossar, e as Camaras recusaram. Nao acredito. Qual o estado camara por camara em termos de contas? Brincalhao! Quantos mais Socas?

José Martins 06.03.2016

Descentralização com o patrocínio do Sr.Augusto Mateus não acredito. Esse Sr. é um dos responsáveis pelo esbanjamento de fundos comunitários na última vintena de anos. Quando militava no MES auto-intitulava.se o LENINE português.

5640533 06.03.2016

Descentralização é incubadora de tachos.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub