Política Catarina Martins admite "erro de análise" do Bloco de Esquerda no caso Robles

Catarina Martins admite "erro de análise" do Bloco de Esquerda no caso Robles

Líder do BE soube do prédio do ex-vereador da Câmara de Lisboa pela imprensa. 
Catarina Martins admite "erro de análise" do Bloco de Esquerda no caso Robles
Miguel Baltazar/Negócios
Negócios 31 de julho de 2018 às 22:03

A líder do Bloco de Esquerda reconheceu um "erro de análise da comissão política" do partido relativamente ao caso do ex-vereador da Câmara de Lisboa, Ricardo Robles. Catarina Martins, em entrevista à RTP3 e citada pelo Correio da Manhã, admitiu que soube do caso do prédio do seu companheiro de partido pelas notícias.

 

Catarina considerou "exemplar" a postura de Robles ainda que admita que se envolveu num negócio "contrário ao que defendemos".

 

Recorde-se que Ricardo Robles abandonou o cargo de vereador que assumia na Câmara Municipal de Lisboa na sequência de uma polémica onde ficou estabelecido que, em 2014, o autarca adquiriu um prédio em Alfama por 347 mil euros, que foi reabilitado e posto à venda em 2017 avaliado em 5,7 milhões de euros.

 

 Ricardo Robles renunciou ao cargo de vereador do BE da Câmara de Lisboa na segunda-feira, afirmando ser "uma decisão pessoal" com o "objectivo de criar as melhores condições para o prosseguimento da luta do Bloco pelo direito à cidade". Esta é, de acordo com Ricardo Robles, "uma opção privada, forçada por constrangimentos familiares" e "no respeito pelas regras legais", para ultrapassar aquilo que se tornou "um problema político real" e que criou um enorme constrangimento à "intervenção como vereador".

 

No sábado de manhã, a coordenadora bloquista, Catarina Martins, disse que Ricardo Robles "nada fez de errado", classificando as notícias de alegada especulação imobiliária de "mentiras". Catarina Martins considera que a insistência na continuidade de Robles tanto na autarquia lisboeta como no cargo que ocupava no Bloco mesmo depois das explicações "foi um erro".




pub