Política Centeno: “Não é claro que precisemos de aprovação parlamentar” para a venda do Novo Banco

Centeno: “Não é claro que precisemos de aprovação parlamentar” para a venda do Novo Banco

O ministro das Finanças admite que a venda do Novo Banco à Lone Star não passe pela Assembleia da República, tal como o Negócios noticia hoje.
Centeno: “Não é claro que precisemos de aprovação parlamentar” para a venda do Novo Banco
Bruno Simão/Negócios
Nuno Aguiar 29 de março de 2017 às 12:34

"Não é claro que precisemos de aprovação do Parlamento. Estamos a trabalhar num quadro em que não precisamos dessa aprovação", afirmou Mário Centeno, num fórum organizado pela Bloomberg. 

 

O Negócios escreveu hoje que o Governo está a desenhar a venda do Novo Banco para que não seja necessário uma votação no Parlamento, o que impediria qualquer bloqueio do Bloco de Esquerda, PSD e CDS, partidos que já sinalizaram que votariam contra a venda. "Tenho falado de Portugal como um país de ambiente político estável e tenho a certeza que, com o Novo Banco, isso também será demonstrado", acrescentou o ministro das Finanças.

 

Como é que isto é feito? Na edição de hoje do Negócios, uma fonte próxima do processo explica que o facto de o negócio ser feito com o Fundo de Resolução dispensa aprovação parlamentar. A venda de 75% do Novo Banco é realizada através de "um contrato permanente entre o Fundo de Resolução e o comprador", refere essa fonte. "Não tem qualquer intervenção jurídica, nem do Governo, nem do Parlamento."

 

Ou seja, haverá certamente debate político, mas não necessariamente uma autorização. Caso fosse necessária aprovação parlamentar, o Governo enfrentaria grandes dificuldades, uma vez que um dos partidos que o apoia – o Bloco de Esquerda – já deixou claro que pretende travar a venda e a oposição PSD/CDS adiantou que o Executivo não deve contar com ela para a aprovar.

 

No mesmo fórum da Bloomberg, Mário Centeno disse ainda que há questões sobre a venda do Novo Banco que apenas podem ser fechadas depois de oficializada a venda. 


A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
pertinaz Há 3 semanas

AFLIÇÃO ...

Conselheiro de Trump Há 3 semanas

Pobre mimico aritmetico:depois das rajadas do NAO por parte do barracao parlamentar a venda do banco recauchutado,fara sentido levar la a presa?Pobreza cega.

Anónimo Há 3 semanas

O problema são as garantias prestadas pelo Estado que afinal parece que os Americanos da Lone Star ainda não abdicaram completamente delas! Negócios à chico-esperto.

Anónimo Há 3 semanas

Esquerda unida vai dar dinheiro ganhar ao fundo abutre a custa contribuinte e dos pequenos penhorados dos BES.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub