Política Costa para Mário Nogueira: "Com um dirigente sindical tão intransigente não há acordo possível"

Costa para Mário Nogueira: "Com um dirigente sindical tão intransigente não há acordo possível"

O primeiro-ministro e a Fenprof persistem sem acordo sobre a contagem do tempo de serviço dos professores. 
A carregar o vídeo ...
António Costa e o líder da Fenprof, Mário Nogueira, mantiveram uma conversa informal durante mais de 15 minutos.
Lusa 11 de setembro de 2018 às 14:39

O primeiro-ministro, António Costa, foi hoje recebido em Paredes de Coura com um "lembrete" de duas dezenas de professores, acompanhados pelo líder da Fenprof, exigindo a contagem do tempo de serviço, terminando o encontro sem acordo.

 

As palavras de ordem do cartaz "Contar Tempo de Serviço, Carreira Justa" deram o mote à conversa informal que António Costa e o líder da Fenprof, Mário Nogueira, mantiveram durante mais de 15 minutos, acompanhados pelo ministro da Educação, natural de Paredes de Coura.

 

Quando chegou à escola básica e secundária de Paredes de Coura, para visitar as obras em curso no valor de mais de dois milhões de euros, o primeiro-ministro teve a iniciativa de dirigir-se a Mário Nogueira e, depois da conversa, ambos admitiram que não foi possível o acordo.

 

"Com um Governo que não conta o tempo completo dos professores, mesmo negociando o prazo e o calendário, não há acordo possível", afirmou Mário Nogueira aos jornalistas.

 

Já o primeiro-ministro disse que "com um dirigente sindical tão intransigente, relativamente à proposta que o Governo apresentou, não há acordo possível".

 

O líder da Fenprof recusou a ideia de manifestação, classificando a acção de hoje como um "lembrete" para "continuar a pressionar o Governo nesta matéria".

 

Mário Nogueira adiantou ainda que vai pedir a negociação suplementar para ainda tentar um acordo, garantindo que caso isto não aconteça, as manifestações irão acontecer.

 




pub