Política João Jardim: "Dou uma gargalhada na cara de quem diz que devemos dinheiro ao continente"

João Jardim: "Dou uma gargalhada na cara de quem diz que devemos dinheiro ao continente"

Em entrevista ao jornal i, o ex-presidente do Governo Regional da Madeira critica Passos Coelho e diz que se o Governo PS cair será por causa do Bloco de Esquerda.
João Jardim: "Dou uma gargalhada na cara de quem diz que devemos dinheiro ao continente"
Negócios 26 de fevereiro de 2016 às 13:40

O ex-presidente do Governo Regional da Madeira, Alberto João Jardim, que enfrentou em 2011 um resgate de 1.500 milhões de euros depois de uma dívida oculta da região estimada em 1.100 milhões de euros, defende que quem deve dinheiro é o continente à Madeira e não o contrário.


"(…) Durante séculos mais de dois terços daquilo que a Madeira produziu foi levado para o Estado português. Por isso eu dou uma gargalhada na cara das pessoas que dizem que nós é que devemos dinheiro ao continente. O continente viveu à nossa custa durante séculos", disse João Jardim numa entrevista ao jornal i.


O social-democrata considera que, enquanto primeiro-ministro, Passos Coelho tratou a Madeira "de forma colonial" ao impor um plano de assistência económica e financeira à parte para a região, à margem da intervenção da "troika" no país. "Não lhe perdoo, porque a Madeira no meu entender não deve nada ao Estado português", acrescentou.


O ex-presidente do Governo Regional considera que o Governo liderado por António Costa é "legítimo", apesar de defender que Bloco e PCP "não têm nada a ver com a democracia" e admitir muito receio com a aliança à esquerda.

"Se aquilo [Governo] rebentar, é por causa do Bloco de Esquerda", adverte, dizendo que o PCP vai "ter de engolir todos os elefantes brancos".


João Jardim aponta ainda o dedo a Passos Coelho por ter sido socialmente insensível enquanto primeiro-ministro e culpa-o por haver um Executivo socialista minoritário com o apoio da esquerda.


"Eles não querem ver isso e vão recandidatar outra vez o senhor Passos Coelho, mas vão levar um banho porque ninguém lhe vai dar uma maioria absoluta. (…) O PSD não tem hipóteses no futuro com Passos Coelho", defende.

As directas para a eleição do líder social-democrata a que Passos é candidato realizam-se a 5 de Março e cerca de um mês depois, a 1 e 3 de Abril, os sociais-democratas reúnem em congresso.


A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Haja paciência 26.02.2016

Além de caloteiro é gozão

Helder 26.02.2016

Posso dar consigo, Alberto João Jardim? Eu também não devo nada ao continente; compro tudo no Pingo Doce.

AVerVamos 26.02.2016

Que dê a GARGALHADA não tenho qualquer dúvida!! Que DEVA dinheiro ao "Contenente" TAMBÉM NÃO!!!
Com uma diferença. É que as obras na Madeira serviram, e servem para turistas e para financiar a economia regional. E a Madeira tem RETORNO financeiro para PAGAR a divida.
As obras de cá servem para financiar AMIGOS de Construtoras (Portuguesas e Brasileiras), entre outros segmentos de negócio...
PPC colheu muitos INIMIGOS dentro do PSD porque não fazia favores..ESSA é A SUA GRANDE DIFERENÇA DOS DEMAIS!!

pub
pub
pub
pub