Política PSD Lisboa "exige" demissão do "especulador imobiliário" Ricardo Robles

PSD Lisboa "exige" demissão do "especulador imobiliário" Ricardo Robles

O PSD Lisboa "exige a demissão do vereador Ricardo Robles por manifesta falta de ética, de seriedade e de credibilidade política para permanecer no cargo de vereador na cidade de Lisboa".
PSD Lisboa "exige" demissão do "especulador imobiliário" Ricardo Robles
Lusa
Negócios 27 de julho de 2018 às 12:57

O PSD Lisboa emitiu esta sexta-feira um comunicado onde "exige" a demissão do vereador do Bloco de Esquerda, Ricardo Robles, que acusa de ser "um especulador imobiliário, que 'despeja' inquilinos e que, pretende ganhar milhões e enriquecer com a especulação imobiliária na zona histórica do município onde é vereador".

 

Este pedido surge na sequência da notícia do Jornal Económico de hoje, onde o jornal revela que Ricardo Robles é co-proprietário de um edifício em Alfama que está à venda por 5,7 milhões de euros.  Segundo o jornal, em conjunto com a sua irmã, pagou 347 mil euros pelo prédio, tendo investido outros 650 mil em obras de requalificação, chegando a acordo com a maioria dos inquilinos para rescindir os contratos de arrendamento.

 

Ricardo Robles já veio esclarecer no Twitter e através de um direito de resposta enviado ao Negócio que "o imóvel não foi vendido nem está à venda neste momento, sendo evidentemente desconhecidas as condições de qualquer operação que - obedecendo a constrangimentos familiares, conforme explicado por Ricardo Robles - possa ocorrer no futuro".

 

"Posições do Bloco de Esquerda são uma chocante fraude política"

 

Explicações que não foram suficientes para o PSD Lisboa, que "exige a demissão do vereador Ricardo Robles por manifesta falta de ética, de seriedade e de credibilidade política para permanecer no cargo de vereador na cidade de Lisboa".

 

Acrescenta a concelhia social-democrata da capital que "o cabeça de lista do Bloco de Esquerda nas últimas eleições autárquicas em Lisboa e actual vereador na Câmara Municipal de Lisboa deu a sua cara nos cartazes e nas ruas contra o bullying e a especulação imobiliária, contra os despejos, contra os abusos do alojamento local e contra a gentrificação".

 

"Queremos ainda registar que este caso vem mostrar que os discursos e as posições do Bloco de Esquerda são uma chocante fraude política que manipula os eleitores e se proclama publicamente contra a ‘especulação imobiliária’, quando um dos seus principais eleitos faz negócios milionários à sua custa".




pub