Política Santana Lopes arranca já com criação do partido

Santana Lopes arranca já com criação do partido

O antigo primeiro-ministro vai iniciar nas próximas semanas as formalidades para a criação do novo partido. Sondagem da Aximage para o Jornal de Negócios diz que pode tirar eleitores ao PSD, CDS e... ao Bloco de Esquerda.
Santana Lopes arranca já com criação do partido

Pedro Santana Lopes vai iniciar o trabalho formal para a criação de um novo partido ainda em Agosto, apurou o Negócios junto de uma fonte próxima do antigo militante do PSD, nomeadamente a escolha do nome, que ainda não está decidido, e a recolha de assinaturas.

O antigo primeiro-ministro e antigo líder do PSD anunciou formalmente na sexta-feira a desvinculação do partido onde militou durante 40 anos e divulgou uma carta onde enumera razões  "de índole histórica, organizativa, estratégica e programática" para a decisão.

"Não faz sentido continuar numa organização política só porque já estamos há muito, ou porque em tempos alcançamos vitórias e concretizações extraordinárias se, no passado e no tempo que importa, no tempo presente, não conseguimos fazer vingar ideias e propostas que consideramos cruciais para o bem do nosso país", escreve na missiva.

Segundo a mesma fonte, Santana Lopes, que está de férias no Algarve, recebeu durante o fim-de-semana mensagens de incentivo de vários pontos do país, e também de portugueses emigrados na Alemanha, França, Reino Unido, África do Sul, Brasil ou Estados Unidos.

O Presidente da República comentou, no sábado, a opção de Santana Lopes. "Para mim o partido é uma família e não se muda uma família, mas tenho grandes amigos que pensam o contrário, que é uma opção como outra qualquer e que se muda de partido quando se entende que já não corresponde àquilo que se pretende. Eu tenho uma visão diferente", disse Marcelo de Rebelo de Sousa, que está a passar férias nos concelhos mais afectados pelos fogos.

Santana Lopes tira votos à direita e ao Bloco de Esquerda
Segundo a sondagem da Aximage para o Negócios, quase um quarto dos inquiridos (24,4%) não afasta, à partida, a hipótese de pôr a cruz do boletim de voto na nova formação política de Santana Lopes, caso concorresse às próximas eleições legislativas de 2019.

É no eleitorado de direita - PSD e CDS - mas também do Bloco onde o antigo primeiro-ministro mostra maior capacidade de penetração. Quase 37,5% dos eleitores do CDS inquiridos admite apoiar a nova formação partidária. No caso do PSD, este valor cai, mas fixa-se nuns expressivos 27,8%.  O partido de Catarina Martins seria o terceiro mais afectado (25,1%), seguindo-se  o PS de António Costa (13,8%) e o PCP (3,8%) .
No pior dos cenários, Santana Lopes parece ter garantida a sua eleição para o Parlamento. Apenas 1,9% dos inquiridos deram a certeza que votariam no partido do ex-rival de Rui Rio, o suficiente para Santana Lopes, pelo menos, um deputado, ou seja, eleger-se a si próprio.




Saber mais e Alertas
pub