Política Sócrates diz que é preso político e que a sua detenção visa impedir PS de vencer eleições

Sócrates diz que é preso político e que a sua detenção visa impedir PS de vencer eleições

Em entrevista conjunta ao DN e à TSF, o ex-primeiro-ministro socialista José Sócrates reivindicou a condição de preso político e atribuiu a sua prisão a uma tentativa de impedir a vitória do PS nas próximas eleições legislativas. Sobre se a política para ele acabou, responde que "pelo contrário", pois "isto ainda agora começou".
Sócrates diz que é preso político e que a sua detenção visa impedir PS de vencer eleições
Negócios com Lusa 30 de junho de 2015 às 02:36

José Sócrates rejeita, "indignado", as acusações de ter recebido, directa ou indirectamente, contrapartidas para a adjudicação de contratos. "Rejeito, indignado, essas acusações. Nunca, em nenhuma circunstância, intervim ou recebi contrapartidas com o intuito de favorecer quem quer que fosse em concursos públicos", afirmou em entrevista conjunta ao Diário de Notícias e à TSF, negando que esta situação pudesse ter ocorrido através do seu amigo Carlos Santos Silva.

 

Sócrates diz que todo o processo é "um embuste", uma vez que, até hoje, ninguém o confrontou com quaisquer provas dos crimes de que é suspeito, sublinha a TSF. Para o antigo primeiro-ministro, a única explicação para os "seis meses de abuso, de arbítrio e de mentiras" de que diz ter sido vítima é que a Justiça esteja, neste caso, "ao serviço de objectivos políticos".

 

No balanço que faz do período da sua detenção, Sócrates insiste neste argumento: "Seis meses de prisão preventiva e sem acusação. Seis meses de uma violenta campanha de difamação efectuada e dirigida pela acusação. Seis meses impedido de me defender. Seis meses de ameaças e intimidação ("pessoas próximas ainda em liberdade", julgo ser a linda expressão que usam). Seis meses de abuso, de arbítrio e mentiras. Seis meses de caça ao homem. Ainda assim, não venceram. Dirão, bem sei, que a lei lhes permite um ano de prisão preventiva sem acusação. Mas nem sempre o que a lei permite, a decência autoriza".

 

"Sejamos claros: num processo com óbvias consequências políticas e sociais, em período pré-eleitoral; depois de deterem, prenderem e caluniarem ao longo de seis meses, é muito revelador que não sejam capazes de apresentar o que disseram adquirido desde início - afinal nem factos, nem provas, nem acusação!", declara Sócrates nesta entrevista conjunta ao DN e TSF, já disponibilizada nos respectivos websites.

 

O ex-líder socialista considera também que a sua prisão "visa impedir o PS de ganhar as eleições".

 

Confrontado com o facto de o secretário-geral do PS, António Costa, ter dito no Fórum TSF do dia 8 de Junho que "O PS não pode substituir-se nem à defesa, nem à acusação, nem ao Juiz", José Sócrates respondeu que teve "ao longo de todos estes meses, a solidariedade sem falhas de todo o PS, dos seus militantes e dos seus dirigentes".

 

"Nunca o PS me faltou, e muito menos me faltou agora. Quanto ao resto, eu sei defender-me. Mas não iludamos a questão critica neste processo. Lamento muito dizê-lo, mas, pelas abundantes razões que expus ao longo desta entrevista, tenho a legítima suspeita que a verdadeira intenção da minha detenção abusiva e da minha prisão sem fundamento não foi perseguir crime nenhum mas tão só impedir o PS de ganhar as próximas eleições legislativas", salientou.

 

"A política para si acabou?" – a esta última pergunta, o antigo primeiro-ministro respondeu: "Oh, pelo contrário. Isto ainda agora começou".

 




A sua opinião278
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado pingu123 30.06.2015

Aritmética simples:
Se eu receber 5000 euros por mês e não gastar nenhum, ao fim de 1 ano tenho 60.000. Em 10 anos junto 600.000. Para ter 1 milhão de euros, demorarei 16 anos e 8 meses; Em 100 anos (se a saúde mo permitir) terei 6 milhões... Quando é que chegarei aos 25 milhões??? Provavelmente terei que entrar no campo político ( em que 2 2 não são 4 e 12 vezes 5000 são muito mais do que 60.000) para o conseguir! Sim, definitivamente, o caso Sócrates é político!!!

comentários mais recentes
anonimo 01.07.2015

Este jornal é da mesma família do CM e está controlado pela laranjada !

francisco 30.06.2015

O Costa quer afastar-se deste animal, mas o boi continua á solta.

h 30.06.2015

Há gente que só diz asneiras o Sócrates só suscita ódio e não medo. As pessoas ficaram fartas da situação caótica que provocou no país. Os saudosistas são aqueles que lucraram com ele, na mesma gamela corrupta e podre

Social democrata 30.06.2015

@ CRIADOR DE TOUROS das 22:36. Amigo, fui um seguidor de Sá Carneiro. Aconselho-o a não desenterrar o passado. Não interessa a ninguem. Não esqueça Sá Carneiro, mas esqueça o acidente. É passado. Não convem mexer nisso nesta altura.

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub