Política Sondagem: PS alargou vantagem para o PSD durante o Verão

Sondagem: PS alargou vantagem para o PSD durante o Verão

Entre Julho e Setembro os socialistas aumentaram a vantagem sobre o PSD. A sondagem da Aximage mostra que em Setembro o PS lidera com 39,8% das intenções de voto, quase mais 10 pontos do que os 30,1% alcançados pelo PSD. Além dos socialistas, só o Bloco de Esquerda cresceu face a Julho.
Sondagem: PS alargou vantagem para o PSD durante o Verão
Miguel Baltazar/Negócios
David Santiago 09 de setembro de 2016 às 18:16

O PS continua a ganhar terreno relativamente ao PSD. De acordo com a sondagem da Aximage para o Negócios e o Correio da Manhã, se as eleições fossem hoje os socialistas venciam com 39,8% dos votos, garantindo uma vantagem próxima dos 10 pontos percentuais face ao PSD.

 

Em relação ao último barómetro da Aximage (realizado em Julho), os socialistas conseguiram nestes dois meses de Verão (Agosto e Setembro) subir 0,8 pontos percentuais. Em contrapartida, os sociais-democratas recuaram ténues 0,4 pontos no Verão, de 30,5% em Julho para 30,1% das intenções de voto no presente mês de Setembro.

 

Já o Bloco de Esquerda permanece destacado na posição de terceiro maior partido português, afirmando-se mesmo como a única força política para além do PS a melhorar as intenções de voto no período considerado. Os bloquistas cresceram de 10,0% em Julho para 10,6% em Setembro.

 

No quarto lugar continua a CDU (coligação entre PCP e PEV) com 6,6% das intenções de voto, isto apesar da ligeira queda de 0,2 pontos comparativamente com o resultado conseguido no mês de Julho. Por fim, o CDS também caiu ligeiramente face a Julho, perdendo 0,3 pontos para 4,6%. Juntos, PSD e CDS, estão agora a cinco pontos do PS. A sondagem da Aximage aponta ainda para uma abstenção de 34,7%.

 

Os socialistas conseguiram assim reforçar a vantagem sobre o PSD num período que acabou por ficar marcado pela polémica em torno dos governantes que aceitaram viajar, e assistir a jogos de Portugal no Euro 2016, com as despesas a serem pagas pela Galp. Agosto ficou também marcado pelo elevado número de incêndios que fustigaram o território nacional.

 

Costa é o líder mais popular

 

Os inquiridos pela Aximage consideram também que o primeiro-ministro, António Costa, é o líder político mais popular. Apesar de um ligeiro recuo em relação a Julho, em Setembro António Costa alcançou uma avaliação positiva de 13,1 pontos no barómetro político da Aximage.

 

Catarina Martins, coordenadora do BE, aparece como o segunda líder com melhores níveis de popularidade (11,3 pontos), enquanto Jerónimo de Sousa, secretário-geral comunista, consegue uma avaliação global positiva mesmo à risca (10,1 pontos).

 

E se os líderes à esquerda merecem notas positivas da parte dos entrevistados pela Aximage, os dois líderes dos partidos mais à direita não chegam à nota 10. A presidente do CDS, Assunção Cristas, fica próxima da positiva (9,6 pontos), enquanto Passos Coelho, presidente do PSD, não vai além dos 6,5 pontos, a mesma avaliação obtida em Julho pelo líder social-democrata.

 

Portugueses confiam mais em Costa do que em Passos para primeiro-ministro

 

António Costa também leva vantagem sobre Passos Coelho quando está em causa a comparação entre em qual dos dois os inquiridos confiam mais para desempenhar a função de chefe de governo. Costa recolhe a confiança de 57,3% dos inquiridos e Passos de apenas 31,2%.

Acerca das expectativas depositadas no Governo liderado por Costa, 27,9% dos inquiridos considera que está a ser "melhor do que esperava". Para 59,6 a equipa chefiada por António Costa está a ter um desempenho "igual ao que esperava", sendo que apenas 17,3% considera que está a ser "pior do que esperava". 1,2% não tem opinião.

Presidente Marcelo com avaliação positiva esmagadora

Também a actuação de Marcelo Rebelo de Sousa enquanto Presidente da República foi alvo da avaliação dos inquiridos pela Aximage. E a esmagadora maioria considera que nos "últimos 30 dias" Marcelo tem estado "bem". 4,4% diz que o desempenho do Presidente tem sido "assim-assim" e 3,1% que tem sido "mau". 



FICHA TÉCNICA Universo: indivíduos inscritos nos cadernos eleitorais em Portugal com telefone fixo no lar ou possuidor de telemóvel.
Amostra: aleatória e estratificada (região, habitat, sexo, idade, escolaridade, actividade e voto legislativo) e representativa do universo e foi extraída de um sub-universo obtido de forma idêntica. A amostra teve 603 entrevistas efectivas: 282 a homens e 321 a mulheres; 60 no Interior Norte Centro, 78 no Litoral Norte, 100 na Área Metropolitana do Porto, 120 no Litoral Centro, 163 na Área Metropolitana de Lisboa e 82 no Sul e Ilhas; 108 em aldeias, 156 em vilas e 338 em cidades. A proporcionalidade pelas variáveis de estratificação é obtida após reequilibragem amostral.
Técnica: Entrevista telefónica por C.A.T.I., tendo o trabalho de campo decorrido nos dias 2 a 5 de Setembro de 2016, com uma taxa de resposta de 78,6%.
Erro probabilístico: Para o total de uma amostra aleatória simples com 603 entrevistas, o desvio padrão máximo de uma proporção é 0,020 (ou seja, uma "margem de erro" - a 95% - de 4,00%).
Responsabilidade do estudo: Aximage Comunicação e Imagem Lda., sob a direcção técnica de Jorge de Sá e de João Queiroz.

 




A sua opinião198
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado genio2 Há 1 semana

Esta tetra das sondagens já cheira mal.
Um ano atrás as sondagens dava maioria absoluta ao PS, pois!... houve eleições e não ganhou.
Mas deixa chegar o mês de Novembro e vamos ver como está o pais...

comentários mais recentes
Anónimo Há 5 dias


FP – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES DO PRIVADO

"Os trabalhadores que lutam, não o fazem por privilégios mas sim por direitos", dizem os FP.

COMO SÃO PAGOS OS “DIREITOS” DOS FP?

Através dos aumentos de impostos... que representam um corte no salário dos trabalhadores do privado (que não têm esses direitos)!

CONCLUSÃO: Os “direitos” de uns, são pagos com o SACRIFÍCIO dos outros!

Anónimo Há 1 semana

Não me admira. Os portugueses só vêm até ao umbigo. Só quando chegar o estoiro que aí vem e tocar-lhe na "barriga" é que as coisas podem mudar de figura.

Anónimo Há 1 semana

Eu vou votar neles pois foram eles que me retituiram parte do vencimento, doa a quem doer.

pertinaz Há 1 semana

A ISTO CHAMA-SE SILLY SEASON

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub