Eleições Governo marca eleições autárquicas para 29 de Setembro

Governo marca eleições autárquicas para 29 de Setembro

O Governo definiu esta terça-feira o dia das eleições autárquicas. Dos cenários possíveis – 22 ou 29 de Setembro ou 6 e 13 de Outubro – o Conselho decidiu-se pelo dia 29 de Setembro, escolhendo o dia que não era defendido por nenhum dos partidos.
Governo marca eleições autárquicas para 29 de Setembro
Inês Balreira 13 de junho de 2013 às 15:20

As próximas eleições autárquicas vão realizar-se a 29 de Setembro, comunicou esta quinta-feira o ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, em conferência de imprensa após a reunião do Conselho de Ministros.

 

Nos termos da lei, as eleições podiam ser marcadas para 22 ou 29 de Setembro ou 6 e 13 de Outubro. A data escolhida pelo Conselho acabou assim por recair num dia neutro, uma vez que o PSD e CDS preferiam eleições a 22 de Setembro, o PCP apontava para 6 de Dezembro e PS e BE sugeriam a data de 13 de Outubro.

 

Quanto à data escolhida pelo Governo, Miguel Macedo afirmou que é “uma data de compromisso”. O ministro explicou que caso as eleições fossem marcadas para 6 de Outubro, o dia de reflexão coincidiria com as comemorações da República. Caso fossem a 13 de Outubro, as eleições iriam coincidir com umas das peregrinações anuais de Fátima e, segundo o ministro da Administração Interna, o Conselho teve esse argumento, que foi invocado esta quarta-feira por Jerónimo de Sousa, em conta.

 

A justificação para a escolha do dia 29 recaiu sobre o facto de ser “o último domingo do mês”, altura em que o ano lectivo já está “e pleno”. “É também relevante a circunstância de o período legal de campanha começar na segunda quinzena do mês de Setembro”, acrescentou o ministro.

 

Miguel Macedo revelou ainda que os candidatos às autarquias podem ser apresentar a respectiva candidatura até 5 de Agosto.

 

Questionado pelos jornalistas sobre se a reforma das freguesias poderia ter impactos na elaboração dos cadernos eleitorais, o ministro afirmou que “não há nenhum sinal de alarme em relação a essa situação”. “Doze dos 18 distritos já fecharam os trabalhos prévios para o fecho dos cadernos e os restantes distritos estão em bom ritmo para a sua conclusão”, revelou Miguel Macedo.

 

O ministro foi ainda indagado sobre a relação das eleições com a apresentação do Orçamento de Estado (OE) para 2014. Em resposta, Macedo rejeitou os argumentos de que o Governo queria afastar a apresentação do OE do perído eleitoral, sublinhando que o Orçamento tem "com grande antecedência previstas as metas e objectivos" e tem sido "objecto de ampla discussão nos últimos meses".

 

(Notícia actualizada às 15h47 com mais informação)




A sua opinião21
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado eldourado 13.06.2013

VERGONHA... Querem que as eleições sejam realizadas antes de o povo conhecer o orçamento de estado para 2014 (OE 2014). Tenham vergonha na cara e demitam-se todos... putos irresponsáveis.

comentários mais recentes
vasco pinto silva 15.09.2013

sou emigrante em franca gostaria de exercer o meu direito voto nas proximas eleicoes autarquicas
como posso fazelo sem me descare a Portugal
abrigados
vasco silva

Anónimo 23.06.2013

Ouvi dizer, que (o M Sousa Tavares) Doutor,Escritor,Jornalista,Comentador,Consumidor,virou Agricultor! (A sério!? ),que vai para o Alentejo plantar para deixar para os netos!.Bem,bem...oxalá não seja uma plantação de papoilas ou canábis!!!! Não vá o diabo tecê-las e os miúdos cheirarem as folhas e começarem a alucinar... ainda diriam - Óh vôvô Palhação! Vamos brincar e montar a tenda do circo pagliacci? Se a moda pega,o PIB vai estourar e Portugal vai sair da crise! Palhação com Convicção!

Anónimo 14.06.2013

Bem isto não tem solução com os politicos que temos; nem esquerdas nem direitas; já estou farto deles. Se aparecer um independente à altura ainda votarei, caso contrário vou deixar a decisão para os "intectuais" (leia-se Zé povinho) deste país decidirem

Jacumbina 14.06.2013

Pela primeira vez na minha vida vou votar numa lista de Independentes. Já vi que nos partidos só há interesses pessoais.

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub