Eleições Putin reeleito para quarto mandato como presidente da Rússia

Putin reeleito para quarto mandato como presidente da Rússia

Vladimir Putin venceu, sem surpresas, as eleições presidenciais que decorreram este domingo, 18 de Março. Ficará à frente do Kremlin até 2024.
Putin reeleito para quarto mandato como presidente da Rússia
Yuri Kadobnov/Reuters
Carla Pedro 18 de março de 2018 às 18:38

Segundo uma sondagem à boca das urnas, Vladimir Putin, de 65 anos, venceu as eleições presidenciais com 73,9% dos votos.

 

A projecção, levada a cabo pela VTsIOM, coloca Pavel Grudinin (Partido Comunista) em segundo lugar, com 11,2%, refere a Reuters.

 

O ultranacionalista Vladimir Zhirinovsky, líder do Partido Liberal Democrata, terá recolhido 6,7% dos votos, ao passo que a apresentadora de televisão Ksenia Sobchak terá tido 2,5%, de acordo com as mesmas projecções.

Umas horas depois, com 50% dos votos contados, a tendência mantinha-se, com Putin a arrecadar 75% dos votos. 


Este será o quarto mandato de Putin, que terá as rédeas do país até 2024 [desde 2012 que os mandatos presidenciais passaram a ser de seis anos, contra quatro anteriormente], altura em que terá 71 anos.

Integrou o governo de Boris Ieltsin em 1996 e rapidamente ascendeu, tendo-se tornado presidente interino a 31 de Dezembro de 1999, quando Ieltsin se demitiu. Venceu então as eleições presidenciais de 2000.

 

Desde então, manteve-se sempre no poder e assume agora o quarto mandato como presidente. Pelo meio, entre 2008 e 2012, foi primeiro-ministro.

A vitória de Putin, contra mais sete candidatos, vai estender o seu tempo total no poder a cerca de um quarto de século. Só o ditador soviético Josef Estaline esteve mais tempo no poder, recorda a Reuters.

 

Putin prometeu usar este mandato para reforçar as defesas da Rússia contra o Ocidente e para elevar os padrões de vida no país. 

"O sucesso espera por nós", declarou Putin aos seus apoiantes, quando já estavam contados mais de 40% dos votos. "Juntos, trabalharemos a uma vasta escala, em nome da Rússia", afirmou.

 

Nestas eleições estavam elegíveis a votar 107,3 milhões de pessoas, com 97.000 locais de voto distribuídos por todo o país.

Os resultados de hoje eram já esperados, uma vez que Putin recolhia cerca de 70% das intenções de voto. O favoritismo de Putin tornou-se mais evidente quando o líder da oposição, Alexey Navalny, foi impedido de concorrer a estas eleições.

No passado dia 28 de Janeiro, a polícia russa deteve Navalny assim que este surgiu numa manifestação para instar os eleitores a boicotarem "as eleições manipuladas de Março próximo". Foi, depois, libertado.

 

"Navalny tem poucas hipóteses de influenciar as eleições presidenciais, que deverão ser confortavelmente ganhas pelo actual presidente, Vladimir Putin, mas a sua capacidade para usar as redes sociais no sentido de mobilizar multidões de jovens em protestos nas grandes cidades irritou o Kremlin", sublinhava então a Reuters a propósito da sua detenção temporária.


(notícia actualizada às 21:32)




pub