Segurança Social Um em cada cinco trabalhadores com baixa estavam aptos

Um em cada cinco trabalhadores com baixa estavam aptos

Mais de 56 mil trabalhadores com baixa médica podiam, afinal, trabalhar. Os dados, revelados pela TSF esta segunda-feira, 16 de Janeiro, referem-se ao ano passado.
Um em cada cinco trabalhadores com baixa estavam aptos
Bruno Simão
Negócios 16 de janeiro de 2017 às 08:43

Mais de 56 mil trabalhadores com baixa médica, ou seja um em cada cinco, estavam aptos para trabalhar, segundo adiantou à TSF o Ministério da Segurança Social, liderado por Vieira da Silva, que levou a cabo um reforço das juntas médicas.


Os dados, relativos a 2016, sublinham que houve um reforço da acção das juntas médicas da Segurança Social, como está previsto no plano de combate à fraude e evasão das contribuições e prestações.


A inspecção extraordinária convocou milhares de trabalhadores com baixa médica e a receberem subsídio por doença para acções de verificação, tendo como principal alvo os que não eram sujeitos a este exame há 40 ou mais dias por um grupo de médicos que avalia o grau de incapacidade do trabalhador.


Só nesta inspecção foram convocados mais de 21 mil trabalhadores dos quais 16% não compareceram, ou por já terem regressado ao trabalho ou com justificação. 21% foram considerados aptos para o trabalho.


Somando com as inspecções regulares, 22% dos trabalhadores de baixa ficaram sem o subsídio por terem sido considerados aptos, de um total de 262 mil inspecções no ano passado.


Em Junho, o Governo tinha adiantado que ira chamar os trabalhadores para avaliações médicas. Em 2015, a Segurança Social pagou 450 milhões de euros em subsídios de doença, pretendendo o Governo cortar a despesa em 60 milhões de euros este ano, de modo a repor os gastos com esta prestação social nos níveis de 2013.  




pub