Elevador Elevador 21 Abril de 2017
Celso Filipe 21 de abril de 2017 às 00:01
Luís Montenegro

Miguel Relvas foi decisivo para Passos Coelho conquistar a liderança do PSD. Agora, o mesmo Relvas aponta o actual líder parlamentar social-democrata como "um dos rostos do futuro" do partido, enquanto vai aconselhando o PSD a virar a página e a ultrapassar o facto "de ter ganho as eleições e estar na oposição". Para bom entender, isto significa que o ex-ministro de Passos coloca Luís Montenegro como candidato à sucessão do actual. E, goste-se ou não, este é um apoio de peso.

Paulo Macedo

Há medidas que são controversas e aquelas que levantam dúvidas. Mas há outras medidas em que o pasmo resulta do facto de só agora terem sido tomadas. Como esta, a de o actual líder da Caixa ter decidido que o banco vai deixar de atribuir subsídio de refeição nos dias de férias. A medida é óbvia e permitirá ao banco uma poupança anual em torno de 2,46 milhões de euros. É claro que o sindicato vai contestar, mas do ponto de vista racional esta é uma medida de gestão compreensível de Paulo Macedo.




A sua opinião21
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado JCG Há 2 dias

Já aqui escrevi dezenas de vezes a minha perplexidade perante uns dados que recolhi das contas dos bancos referentes a 2015. Curiosamente, parece que mais ninguém se incomodou.
É o seguinte: em 2015 (depois de mais de mil milhões de euros de prejuízos em 2014) os custos com pessoal na CGD subiram exponencialmente, de tal modo que que em média cada trabalhador custou à CGD no ano de 2015 a quantia de 70,2 mil euros.
Sabem quanto custou cada trabalhador em média nesse mesmo ano no conjunto dos outros 5 maiores bancos excluindo o BES/NB? 47,7 mil euros.
Parece evidente que quem tem estado instalado na CGD deu asas à imaginação a meter a mão no pote (o que acontece amiúde quando há dinheiro a rolar e fraca fiscalização; sabem quem era o presidente do Conselho Fiscal da CGD? o Paz Ferreira, marido da ministra da saúde, um catedrático que costuma aparecer na TV a dar os seus palpites), enquanto encarrega o governo de sangrar os contribuintes.

comentários mais recentes
Joaquim Há 23 horas

Luis Montenegro é talvez dos gajos mais básicos na política portuguesa. Sem ideias, é mesquinho e discute miudezas... não sei o que poderá trazer este homem a Portugal, sinceramente...

Anónimo Há 1 dia

A corrupção é a maior aliada do excedentarismo. Onde há uma, existe a outra. Ambas são duas faces da mesma moeda. Da má moeda chamada despesismo. A missão e propósito dos bons governantes, com ou sem a ajuda e orientação de técnicos e outros recursos do FMI, da UE e da OCDE, é criar condições para expulsar essa má moeda e não a deixar voltar a circular nas nossas economias e sociedades.

Anónimo Há 1 dia

Nos portos da Holanda, essa mesma do Dijsselbloem nascido em Eindhoven que é tão somente um centro mundial de inovação e empreendedorismo bem sucedido assente na grande dinâmica, abertura e flexibilidade do mercado de talento e capital, estão a automatizar todas as áreas e departamentos das instalações portuárias. Os colaboradores excedentários vão ser alvo de rescisão contratual apesar de terem organizado umas greves e contratado uma historiadora portuguesa (de onde haveria de ser) para criar uns relatórios neoluditas com forte inspiração marxista, para apresentar como argumento reivindicativo à Organização Internacional do Trabalho. Portugal, qual Cuba, Venezuela ou Coreia do Norte, é o último enclave Marxista na UE. Uma vergonha e uma lástima.

Anónimo Há 1 dia

"The Federal Government Now Employs the Fewest People Since 1966" https://blogs.wsj.com/economics/2014/11/07/the-federal-government-now-employs-the-fewest-people-since-1966/

ver mais comentários
pub