Agricultura e Pescas Governo admite novo adiamento à análise da extensão da plataforma continental

Governo admite novo adiamento à análise da extensão da plataforma continental

A ministra do Mar aponta para que a análise das Nações Unidas à proposta para o alargamento da plataforma continental portuguesa possa ainda começar no final de 2017, mas admite que o "timing" possa sofrer alterações.
Governo admite novo adiamento à análise da extensão da plataforma continental
Miguel Baltazar/Negócios
Maria João Babo 05 de julho de 2016 às 16:04

A ministra do Mar, Ana Paulo Vitorino, prevê que a proposta para o alargamento da plataforma continental portuguesa comece a ser analisada pelas Nações Unidas em 2017, mas admite que a análise possa voltar a sofrer atrasos.


"Não existe evidência de que será para lá de 2017", afirmou a ministra esta terça-feira na Comissão de Agricultura e Pescas, acrescentando, contudo, que este prazo "pode ser alterado".


"Basta que a comissão de limites coloque mais questões ou que o processo que está à frente do nosso requeira mais reuniões para que fiquemos mais longe no agendamento do nosso", explicou Ana Paula Vitorino, frisando que a Portugal "não é possível acelerar o processo".


A perspectiva do Governo é que a candidatura à extensão plataforma continental possa começar a ser analisada pela ONU no último trimestre do próximo ano.


A proposta portuguesa para a extensão dos limites da plataforma continental para além das 200 milhas marítimas foi apresentada em 2009.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub