Vinho Fiscalização dos vinhos do Douro e do Porto com sorteio informático mais afinado

Fiscalização dos vinhos do Douro e do Porto com sorteio informático mais afinado

O Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto decidiu redefinir o procedimento de operações diárias de controlo e selecção das empresas a fiscalizar, que começa num sorteio informático, garantindo que a mudança melhora a eficiência do processo e diminui os custos para as empresas.
Fiscalização dos vinhos do Douro e do Porto com sorteio informático mais afinado
Rui Neves 08 de maio de 2018 às 14:06

Todos os dias o Instituto dos Vinhos do Porto e do Douro (IVDP) realiza acções de Fiscalização de Denominação de Origem e Indicação Geográfica, as chamadas FDO, que começam num sorteio informático.

 

"Decorridos alguns anos após a sua implementação", o IVDP concluiu que tinha chegado a hora de "adaptar, à nova realidade do país e do sector", todo o procedimento de controlo e selecção das empresas a fiscalizar, tendo emitido uma nova circular em que redefine a tipologia de acções de fiscalização a efectuar.

 

As FDO, que "são desenvolvidas tendo em vista o controlo quantitativo e/ou qualitativo dos vinhos e a actividade dos agentes económicos", são " estabelecidas preferencialmente a partir de um processo informático que tem como factores o volume operado, o preço médio praticado e o histórico de cada agente económico em função da frequência e da gravidade de incidentes que, entretanto, se tenham verificado", revela o IVDP, em comunicado.

 

Por outro lado, acrescenta o mesmo instituto, "foram implementadas duas novas operações de controlo sistemático, uma aos vinhos comercializados abaixo do preço médio por nível qualitativo, e outra às instalações onde coexistam vinhos da Região Demarcada do Douro e vinhos a granel sem Denominação de Origem e Indicação Geográfica".

 

Garante o IVDP que estas alterações "ajudam a diminuir os custos de contexto para os agentes económicos e conduzem a uma melhoria da eficiência no processo de controlo e fiscalização das denominações de origem e indicação geográfica da Região Demarcada do Douro".

 

O IVDP, que está integrado no Ministério da Agricultura, tem como missão certificar, controlar, proteger e promover as Denominações de Origem Porto e Douro e Indicação Geográfica Duriense em Portugal e no mundo.




pub