Vinho Produção de vinho do Porto vai cair em 2018 após seis anos de ascensão

Produção de vinho do Porto vai cair em 2018 após seis anos de ascensão

Os produtores e os comerciantes da Região Demarcada do Douro acordaram para a próxima vindima o “benefício” de 116 mil pipas de mosto generoso para a produção de vinho do Porto, menos duas mil pipas do que no ano passado. O último anúncio de quebra tinha sido em 2011.
Produção de vinho do Porto vai cair em 2018 após seis anos de ascensão
Ricardo Meireles/Sábado
Rui Neves 17 de julho de 2018 às 15:18

A Região Demarcada do Douro vai transformar 116 mil pipas (de 550 mil litros cada) de mosto generoso em vinho do Porto na vindima deste ano, menos duas mil pipas do que na campanha do ano passado.

 

Este é o principal resultado do tradicional comunicado de vindima para 2018, que foi aprovado, esta terça-feira, 17 de Julho, pelo conselho interprofissional do Instituto dos Vinhos do Douro e Porto (IVDP).

 

Após seis anos de aumentos anuais consecutivos, este órgão consultivo estabeleceu uma redução do chamado "benefício", que é a quantidade de mosto que cada viticultor pode destinar à produção de vinho do Porto. O último anúncio de quebra, na altura para as 85 mil pipas, foi em 2011.

 

"Tendo em conta o contexto das vendas e a valorização de stocks, há uma ligeira diminuição do valor estabelecido para o benefício, em relação ao ano passado. O resultado desta reunião transmite a estabilidade entre a produção e o comércio, sempre com o objectivo comum da protecção das Denominações de Origem Porto e Douro", explicou Manuel de Novaes Cabral, presidente do IVDP, em comunicado.

O "benefício" é a quantidade de mosto generoso que, somando a aguardente que é preciso adicionar, fixa a quantidade de vinho do Porto que pode ser produzida na vindima seguinte. A definição deste valor exige anualmente uma negociação entre os representantes da produção e do comércio de vinho do Porto, tendo por base um conjunto de critérios técnicos, as vendas nos últimos meses e as projecções para o resto do ano, o nível de stocks existentes e as intenções de compras até Dezembro.

 

No ano passado, as empresas que produzem vinho do Porto exportaram menos caixas (-0,9%), mas 1,2% mais caras, o equivalente a 4,84 euros por litro, progredindo ligeiramente (0,2% em relação a 2016) para um total de 312,2 milhões de euros.

 

O vinho do Porto representa cerca de 40% das exportações portuguesas de vinhos e 61% das vendas nos mercados externos de vinhos com denominação de origem.



(Notícia actualizada às 15:31)




pub