Automóvel Costa sugere à Renault produzir baterias para carros eléctricos em Portugal

Costa sugere à Renault produzir baterias para carros eléctricos em Portugal

Portugal tem condições para produzir baterias para veículos eléctricos, defende o primeiro-ministro.
Costa sugere à Renault produzir baterias para carros eléctricos em Portugal
Miguel Baltazar/Negócios
André Cabrita-Mendes 07 de março de 2017 às 16:16

O primeiro-ministro considera que Portugal tem boas condições para contribuir para o desenvolvimento da mobilidade eléctrica. E sugeriu à francesa Renault a produção de baterias para carros eléctricos no país. Portugal tem das maiores reservas mundiais de lítio, um mineral que é essencial para produzir as baterias para estes veículos.

 

"Portugal tem uma das maiores reservas de lítio que existe à escala global, isso permite-nos ser um actor importante na área da mobilidade eléctrica. E tendo hoje um cluster automóvel forte no nosso país, acho difícil que esse cluster não evolua e não aproveite uma grande infra-estrutura de abastecimento, e o facto de termos estas reservas naturais", disse o primeiro-ministro esta terça-feira, 7 de Março.

 

"Este é um sector onde vale a pena apostar. A Renault que tem dado excelentes exemplos na área da mobilidade eléctrica, pode registar que, para além de caixas de velocidade, também tem boas condições para produzir aqui baterias", sugeriu António Costa no âmbito da 5ª conferência franco-portuguesa que decorreu em Lisboa.

 

A rede de postos de carregamento na via pública (Mobi.e) também caminha para a conclusão das metas iniciais, com a instalação de postos de carga rápida, o que deverá contribuir para o aumento das vendas de carros eléctricos no país, mantendo a tendência de crescimento dos últimos anos.

 

A Renault tem uma fábrica de componentes em Cacia, Aveiro, onde produz caixas de velocidade que vão equipar tanto carros da Renault, como da Nissan, parceira na aliança entre as duas marcas.

 

Por seu turno, o líder da Renault Portugal destacou que a empresa tem actualmente em curso um investimento de 100 milhões de euros na fábrica da Cacia, que vai criar 150 postos de trabalho, para produzir uma nova geração de caixa de velocidades e que esta é agora a grande prioridade para os próximos anos.

 

No entanto, Laurent Diot não fecha a porta a novos produtos no futuro. "Eventualmente podemos estudar outros projectos", disse ao Negócios o administrador delegado da Renault Portugal à margem da 5ª conferência franco-portuguesa.

 

Recorde-se que a  Nissan chegou a ter previsto a construção de uma fábrica de baterias para carros eléctricos em Cacia, mas a empresa cancelou o projecto no final de 2011, depois de concluir que as quatro fábricas de baterias eléctricas que já tinha eram suficientes. Este investimento deveria atingir os 156 milhões de euros e a criar 200 postos de trabalho.




pub