Automóvel Ex-gestores da Tesla estudam fábrica de baterias de 4 mil milhões na Europa

Ex-gestores da Tesla estudam fábrica de baterias de 4 mil milhões na Europa

Será a primeira grande fábrica de baterias para a indústria dos automóveis eléctricos na Europa.  
Ex-gestores da Tesla estudam fábrica de baterias de 4 mil milhões na Europa
Bloomberg
Negócios 07 de março de 2017 às 12:31

Dois antigos gestores da norte-americana Tesla pretendem avançar com um investimento de 4 mil milhões de dólares (3,77 mil milhões de euros) na construção de uma fábrica de baterias nos países nórdicos europeus.

 

A concretizar-se, esta será a primeira grande fábrica europeia de baterias para a indústria dos carros eléctricos, que continua a ser dominada pelos fabricantes asiáticos.   

 

O projecto será anunciado oficialmente esta terça-feira, mas um dos gestores responsáveis já avançou com os detalhes ao Financial Times. "Se ninguém fizer nada, a Europa ficará completamente dependente dos fornecedores asiáticos. A Europa tem a oportunidade de agir pela sua dependência energética. É agora ou nunca", disse ao jornal britânico o sueco Peter Carlsson, que até 2015 era o responsável pela cadeia de fornecedores da Tesla.

 

A Northvolt, a nova empresa deste gestor, pretende iniciar em 2020 o fabrico de baterias de iões de lítio, atingindo uma capacidade de produção de 32 gigawatts por hora (GWh) em 2023.

 

Caso avance, esta fábrica que será localizada no norte da Europa, rivalizará com a gigafactory que a Tesla está a construir no Nevada e que terá uma capacidade de 35GWh. As empresas asiáticas dominam neste sector, que tem um papel fundamental para a indústria dos carros eléctricos, que está em forte expansão em todo o mundo.

 

Paolo Cerruti, parceiro de Carlsson e também antigo gestor da Tesla, defende que as companhias asiáticas não têm nenhuma "vantagem estrutural" para liderar esta área de negócio, já que o domínio actual advém sobretudo de serem muito fortes no fabrico de produtos de consumo electrónicos. O fabrico de baterias "é um processo automático, não necessita de mão-de-obra barata mas sim de engenheiros capacitados. A energia é uma parte muito importante do custo", afirmou ao Financial Times.  

 

A Northvolt está agora à procura de um local para instalar a fábrica, sendo que a Suécia parte como favorita. Mas o "maior desafio" está ainda no financiamento do projecto, admite Carlsson, apesar de garantir que "há um interesse tremendo em investir numa transformação que está prestes a acontecer".

 

A Tesla também tem planos para construir uma gigafactory na Europa (um investimento que Portugal pretende atrair) mas os dois gestores da Northvolt garantem que não são concorrentes, pois a companhia de Elon Musk pretende produzir apenas para utilizar nos seus automóveis.




Saber mais e Alertas
pub